Search
Wednesday 13 November 2019
  • :
  • :

A Superliga principal ganhou um novo participante na tarde deste sábado

Crédito: Alexandre Loureiro/Inovafoto/CBV

 

Dono de melhor campanha da Superliga B Masculina 2017, o SESC-RJ coroou a boa temporada com o título da competição, e, com isso, a vaga na elite do voleibol brasileiro. O time carioca bateu na decisão o Jaó/Universo (GO) por 3 sets a 0 (25/15, 25/20 e 25/23), em 1h27 de confronto no ginásio do Hebraica, no Rio de Janeiro (RJ), na tarde deste sábado (15.04). Montado em outubro de 2016, esta foi a primeira participação da equipe que culminou com o troféu após 12 vitórias em 13 jogos.

 

Até o momento da final o Jaó/Universo era o único time que havia derrotado o SESC-RJ. Apesar do histórico favorável, a equipe goiana sofreu com a potência dos saques adversários e encontrou muita dificuldade no passe e na virada de bola. Já os donos da casa tiveram bom volume defensivo e aproveitaram os contra-ataques para dominar a maior parte do jogo. O oposto Paulo Victor, destaque do SESC-RJ na temporada e que já tem três títulos da Superliga no currículo, comemorou bastante a conquista.

 

“A vitória foi merecida. Treinamos pesado ao longo de muitos meses, antes mesmo de começarmos a temporada. E nessa última semana o nosso pensamento estava todo voltado para esta decisão. Estamos muito felizes por esse resultado. Eu sou um atleta profissional, estamos aqui para fazer o nosso melhor, então a felicidade de ser campeão é a mesma sendo a Superliga B, a C ou o campeonato do bairro. Para mim, é uma grande vitória, é uma felicidade imensa ter conquistado mais um título na minha carreira”, disse.

 

Outro acostumado a títulos importantes é Giovane Gávio, treinador do SESC-RJ, que é bi-campeão olímpico e campeão mundial como jogador, além de ter conquistado a Superliga como atleta e como treinador. Para Giovane a satisfação de conseguir chegar no lugar mais alto do pódio na Superliga B não é diferente das demais façanhas da carreira.

 

“Tínhamos uma tensão pois um resultado diferente do que tivemos aqui seria considerado um fracasso. Mas construímos esta vitória, não veio fácil. Fizemos um trabalho com muita dedicação. É sempre bom ganhar. Mesmo tendo passado por tantos momentos gloriosos na carreira, quando a gente consegue sucesso em um projeto a sensação de recompensa é sempre muito boa”, disse.

 

A vitória do time carioca na decisão foi acompanhada por aproximadamente mil pessoas que lotaram as arquibancadas do ginásio do clube Hebraica. A torcida empurrou o time da casa em todos os momentos e foi recompensada no final. O capitão do SESC-RJ, o experiente levantador Everaldo agradeceu o empenho do time na competição.

 

“Foi uma grande honra ter participado deste projeto. Nos dedicamos muito, queríamos jogar o nosso melhor. A equipe sabia dessa responsabilidade e conseguimos o objetivo. O SESC-RJ ainda tem muita coisa boa para mostrar pela frente”, comentou Everaldo.

 

Do outro lado, o técnico vice-campeão Hítalo Machado viu a participação do Jaó/Universo como um sucesso do projeto que tem menos de um ano. O treinador acredita que a temporada foi apenas o início de um projeto que tem a crescer, principalmente com o bom retorno conseguido na Superliga B.

 

“Este é apenas o início do nosso projeto em Goiânia. Sabemos que precisamos melhorar ainda a nossa estrutura, temos muito o que crescer. Mas temos a certeza que vamos continuar o trabalho. O voleibol tem uma grande visibilidade. Então temos certeza que vamos crescer. Temos agora que nos voltar para a Taça Ouro, mas temos que seguir firmes”, disse.

 

No jogo decisivo deste sábado a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) testou um sistema de comunicação via rádio entre os árbitros e juízes de linha. O objetivo era facilitar a troca de informações entre os envolvidos na partida para agilizar o veredito a cada lance. Ivan Cardoso, primeiro árbitro da decisão entre SESC-RJ e Jaó/Universo aprovou.

 

“É uma boa iniciativa. Como aqui estávamos em fase de testes precisei fazer alguns ajustes durante os intervalos, pois o barulho da torcida atrapalha um pouco na hora de ouvir, mas acredito que seja um bom apoio para nós durante os jogos”, disse. A intenção da entidade é pôr em prática o uso deste sistema nas finais feminina e masculina da Superliga 2016/2017.

 

 




1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Adriana Nascimento Recent comment authors
  Subscribe  
o mais novo mais velho mais votado
Auto Notificar:
Adriana Nascimento
Visitante

Parabéns ao SESC pelo trabalho. Bom demais ver PV, Tiago Barth e tantos outros valores tendo oportunidade de mostrar seus talentos. Parabéns também ao Giovanni, que tanto critiquei quando assumiu a seleção sub 23, o comprometimento dos atletas em perfeita harmonia com o trabalho proposto demonstra a dedicação. Sejam bem vindos.

Translate »