Search
Wednesday 17 July 2019
  • :
  • :

Acompanhe nossa entrevista exclusiva com a oposto Joycinha, um dos destaques da Liga Turca

Crédito: Tekin Ateşnal

Crédito: Tekin Ateşnal

 

Em meio a sessões de treinos e dias movimentados em função da Liga Turca, a oposto Joycinha concedeu uma entrevista exclusiva ao site Melhor do Vôlei. Entre outras coisas, a atleta fala sobre sua vida pessoal, Seleção Brasileira e até mesmo aposentadoria. Confira na íntegra.

 

MDV: Joycinha como é a sua vida na Turquia? Você se sente confortável pessoal e profissionalmente? Conte um pouco do seu dia a dia.

Joycinha: Eu gosto da Turquia! Aqui é maravilhoso. Já é o meu segundo ano em Bursa e me sinto à vontade. Meu dia a dia é de muito treino e quando tenho um ou dois dias de folga, sempre fujo pra casa da Natália em Istambul. Na temporada passada era pra casa da Sheilla e esse ano é para casa da Nati.

 

MDV: A barreira cultural e linguística te traz algum empecilho? Como é a convivência com sua comissão técnica, colegas de equipe e torcida?

Joycinha: Não tenho problema nenhum com a cultura, apesar de ser muito diferente. Eles sabem que eu sou evangélica cristã e mesmo sendo islâmicos eles me respeitam muito. Sinto que é um respeito mútuo. Apesar de ser meu segundo ano, a comissão mudou muito e as meninas do meu time também,mas eu me dou bem com todos. Nós brasileiros somos muito sorridentes. Quando estou um pouco mais séria, por cansaço ou por não ter dormido bem, todos vem perguntar se eu estou bem ou se aconteceu alguma coisa. Sobre a torcida, eles nos acompanham em muitos lugares, sempre muito respeitosos e torcendo do início ao fim independente o resultado.

 

MDV: Você acredita que possa voltar a fazer parte dos planos da Seleção Brasileira? Tem este objetivo ou sonho?

Joycinha: Só podemos acreditar no que temos como objetivo e esse não é o meu. Na verdade, já estou começando a pensar em aposentadoria. O meu sonho era conquistar várias coisas através do vôlei e foi isso que Deus me proporcionou. A Seleção não virou, mas isso não prejudicou em nada minha vida. Meu contrato não depende de Seleção e sim de como eu jogo a temporada no clube.

 

MDV: Qual a principal meta de sua equipe para esta temporada? Antes de assinar na Turquia você teve propostas do Brasil? Voltaria a jogar aqui no atual cenário?

Joycinha: Tenho me focado em ter um bom resultado no Europeu e na Liga Turca. Sabemos que estamos entre a quinta e sexta força e meu time nunca ficou entre os quatro melhores. Vamos tentar fazer o melhor que podemos para entrar em um histórico final four. Eu renovei com minha equipe antes de acabar o campeonato. Sei que minha empresária foi procurada, mas eu já estava fora do mercado e por enquanto não tenho interesse nenhum de voltar ao Brasil. Não posso dizer que nunca voltarei, mas por enquanto não.

 

MDV: O que mais sente falta do Brasil  e o que mais te cativou por aí?

Joycinha: Eu sinto muita falta da minha família e amigos. De ir à igreja e ouvir a palavra de Deus, além de falar português. O que eu mas gosto aqui é de abrir o vidro do carro e de poder sair com o celular e a carteira na mão sem me preocupar com nada.

 

MDV: Deixe um recado para os seus fãs e amigos.

Joycinha: A temporada só está começando e conto com a torcida de vocês por Bursa!

 

Adriano Barbosa (repórter do Melhor do Vôlei)




7
Deixe um comentário

avatar
7 Comment threads
0 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
6 Comment authors
MariGuilhermeFabioGlauciaFlavia Recent comment authors
  Subscribe  
o mais novo mais velho mais votado
Auto Notificar:
Mari
Visitante

Alguém sabe onde posso assistir os jogos da liga turca online?

GLAUCIA
Visitante
GLAUCIA

Concordo com Guilherme Mari virou ponteira porque? Para deixar Sheila jogar e não disputar diretamente posição com ela podendo assim tirá-la.. Todos sabemos que jogar de ponta (nunca foi a melhor forma de extrair o voleibol diferenciado da Mari), assim como Valeskinha virar ponteira, Sassá virar líbero e Joycinha pode não ter obtido momentos de glória na seleção, porém a Monique teve?? Tandara teve?? Acho que nossa seleção e nosso técnico que é multicampeão é paneleiro sim e muitas atletas já sentiram na pele isso: Valeskinha, Érika, Paula, Mari, Fabiola, Roberta, Brait, Joycinha, Jucy (por um tempo) e tantas outras…..… Ler mais »

Guilherme
Visitante
Guilherme

Joycinha, assim como algumas outras jogadoras que nunca fizeram parte da panelinha de ZRG, jamais foram privilegiadas como Sheilla, por exemplo. Esta, podia jogar 10 partidas horrivelmente, que permanecia na titularidade até, de tanto ficar em quadra, acertar e virar rainha da mídia e de público. Muitas outras, como Joycinha, se começassem algum campeonato como a oposta agora sem time, eram condenadas e não retornavam mais. Dois pesos e duas medidas. Seja feliz aí, Joycinha, que realmente não depende de seleção pra firmar contratos, a exemplo de estrelinhas que botavam todas as fichas num eventual tricampeonato olímpico e deram com… Ler mais »

Fabio
Visitante
Fabio

Ela teve todas as chances na seleção e não correspondeu. Não gosto do Zé Roberto mas pelo menos neste caso eu não vejo panelismos.

Glaucia
Visitante
Glaucia

Joyce arrasouuuuu!!

Só faltou dizer: me colocam no banco de Monique Caricata e Tandaraoooo …. seleção pra que, Zé Panelaaaa

Flavia
Visitante
Flavia

“A Seleção não virou, mas isso não prejudicou em nada minha vida. Meu contrato não depende de Seleção e sim de como eu jogo a temporada no clube”. Mitou… In your face… Zé Panela.

Gabriel
Visitante
Gabriel

“O que eu mas gosto aqui é de abrir o vidro do carro e de poder sair com o celular e a carteira na mão sem me preocupar com nada.” – the shade of it all!!!! GRITOS

Translate »