Search
Saturday 19 October 2019
  • :
  • :

Cachopa, sobre o desafio desta quarta-feira: “Nos enfrentamos em várias competições, e sempre são partidas difíceis”

Cachopa: “Fazer parte desse grupo e vivenciar um campeonato desse nível agrega muito” (Foto: FIVB)

 

Única invicta e líder na Copa do Mundo do Japão, a Seleção Brasileira Masculina de Vôlei entrará em quadra, nesta quarta-feira (09), para o início da segunda e última semana da competição, que terminará na próxima terça (15). O Brasil enfrentará a Argentina, sétima colocada. O levantador Cachopa acredita que os próximos adversários darão mais trabalho.

 

“Estamos cada vez mais atentos e focados. Sabemos que essa segunda parte do campeonato vai ser muito difícil. Provavelmente mais complicada do que a primeira semana. Acho que, pelo desgaste, é um campeonato que exige demais de todas as seleções que estão participando. São muitas partidas em um curto período de tempo”, explica Cachopa.

 

“Mas estamos pensando em um jogo de cada vez, um adversário por vez. Toda vitória é importante. As equipes, mesmo desfalcadas, estão jogando em um nível muito alto. Todo adversário está entrando em quadra e apresentando um bom vôlei”, diz o levantador, que também fez uma análise da Argentina, comandada por Marcelo Mendez, seu técnico no Sada Cruzeiro (MG) há cinco temporadas.

 

“A gente joga muito contra a Argentina, nos enfrentamos em várias competições, e sempre são partidas difíceis. Eles têm um jogo um pouco diferente do nosso e que estamos acostumados a ver, com muito volume, e fazem isso muito bem”.

 

Na primeira semana da Copa do Mundo, o Brasil superou as seleções do Canadá, Austrália, Egito, Rússia e Irã. Agora será a vez de enfrentar, além da Argentina, as equipes dos Estados Unidos, Tunísia, Polônia, Japão e Itália. Até o momento Cachopa atuou em nove sets da competição, e destacou a importância de mais uma vez ter a oportunidade de estrear neste campeonato.

 

“Fazer parte desse grupo e vivenciar um campeonato desse nível agrega muito. Acredito que tive uma evolução durante todas as competições com a seleção brasileira. Com certeza cresci em aspectos técnicos e táticos. Preciso vivenciar coisas novas e jogar em níveis cada vez mais altos. Todas as experiências que tive até agora, com certeza, me ajudaram muito”, conclui Cachopa.




Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Auto Notificar:
Translate »