Search
Friday 11 August 2017
  • :
  • :

Entrevista: Conheça um pouco mais sobre a jovem Edinara, uma das grandes revelações da Superliga 2016/17

Crédito: Divulgação/CBV

 

O nome dela é Edinara. Natural de Anchieta, em Santa Catarina, a jovem ponteira do São Cristívão Saúde/São Caetano, vem impressionando aos técnicos, amantes do voleibol e às próprias atletas. Com 21 anos recém completados, a jogadora de 1,84m concedeu uma entrevista exclusiva ao Melhor do Vôlei e contou um pouco sobre sua trajetória no esporte.

 

A catarinense sempre chamou atenção por sua estrutura longilínea, mas mesmo com esse diferencial, o início no voleibol não foi tão simples assim. “Comecei na escola, com 12 anos. Depois de um tempo, o técnico da minha cidade me chamou para participar da escolinha da cidade. O pessoal falava que eu não ia pra frente porque não sabia nem dar um toque, falavam que eu só tinha perna e braço”, contou aos risos.

 

Como qualquer jovem esportista, Edinara também tem suas atletas em quem busca se inspirar. “Gosto muito da Jaque, da Sheilla e da Gabizinha. No caso da Gabi, principalmente por ela ser uma boa pessoa e que se destacou desde cedo”.

 

A ponteira do São Caetano iniciou a competição no banco e até o final do ano passado tinha como prioridade a equipe de base do clube, onde era a capitã. No entanto, o técnico Hairton Cabral passou a utilizar a garota com frequência e o time foi conquistando resultados expressivos e complicando partidas contra times favoritos. A equipe do ABC levou para o tie-break os duelos contra os poderosos Brasília Vôlei, Dentil/Praia e Rexona-Sesc, com Edinara marcando 24, 30 e 28 pontos, respectivamente.

 

Mesmo enfrentando os bloqueios mais qualificados do país, a ponteira não se intimida, como mostram os números acima. “Penso em fazer o meu melhor sempre, sem me preocupar quem estou enfrentando. Busco usar recursos técnicos para achar os espaços na quadra e evito enfrentar o bloqueio, aproveitando as falhas que os adversários têm. Jogo sem pensar muito em quem está do outro lado”.

 

Ao todo, Edinara já anotou 156 pontos na Superliga e até o momento é a quarta atacante mais eficiente da competição. Além de chamar a atenção nas estatística, ela também se destaca pela versatilidade, podendo atuar tanto na ponta, como na saída de rede, se sentindo a vontade em ambas as posições. “Não tenho preferência. Gosto de jogar nas duas posições”.

 

Com todo esse destaque, o futuro deve reservar boas surpresas à essa revelação do voleibol brasileiro, mas a catarinense não se ilude e prefere não se antecipar quando abordamos os planos para a próxima temporada. “É cedo para falar disso. Estou com a cabeça voltada para a temporada atual. Acho que pensar na próxima temporada acaba atrapalhando o trabalho que esta sendo desenvolvido agora. Grande parte do meu voleibol foi desenvolvido em São Caetano e já estou ambientada com todos os profissionais que aqui estão, mas também não quero fechar nenhuma porta. Pensarei nisso após o fim da Superliga”.

 

Sobre Seleção Brasileira, Edinara também é pontual. “Já fiz parte da seleção de base e foi um grande aprendizado, então retornar com um pouco mais de bagagem seria uma honra. Defender as cores do Brasil é sempre gratificante, traz emoções diferentes, seria um prazer fazer parte da seleção novamente, independentemente da categoria (Sub-23 ao Adulta). Continuarei trabalhando para chegar lá”. A jovem também demonstra muita vontade para ganhar o seu espaço no futuro. “Quero conquistar o máximo de títulos. Uma boa atleta tem que deixar sua marca por onde passa e a melhor forma de fazer isso é com muito trabalho, dedicação, humildade, Fé, amor pelo que faz e assim buscar o melhor a cada dia”.

 

Para finalizar, a ponteira do São Caetano não poderia deixar de citar um dos momentos mais emocionantes de sua carreira. Na última sexta-feira (03/02), após a derrota suada de sua equipe para o Rexona-Sesc, por 3 sets a 2, a ponteira Gabi quebrou todos os protocolos e depois de ser escolhida a melhor atleta em quadra, homenageou Edinara, sedendo o seu Troféu Viva Vôlei para a camisa 6 do time comandado por Hairton Cabral.

 

“Antes dessa partida eu já vinha jogando bem, mas meu time não saía vitoriosa e como o prêmio é dado para uma atleta da equipe vencedora, não esperava que pudesse recebê-lo. Quando nos cumprimentamos no final do jogo a Gabi me entregou o troféu e disse que eu merecia, pois tinha jogado bem. Na hora não acreditei! Fiquei muito emocionada, principalmente porque eu tinha feito aniversário dois dias antes da partida. A Gabi demonstrou ser um exemplo de humildade, uma atleta que está colhendo os frutos do seu trabalho, não só pela sua qualidade no voleibol, mas pelo que ela é como pessoa e pelo o que ela já representa. Atitudes como a que ela teve são inspiradoras”, concluiu emocionada.

 

Nesta sexta-feira (10/02), o São Caetano vai a Valinhos, para enfrentar as donas da casa, às 20h30, pela quinta rodada do returno da Superliga Feminina

 

Daniel Rodrigues

Crédito: Hérica Suzuki

 

 

 

10




Deixe um comentário

4 Comentários em "Entrevista: Conheça um pouco mais sobre a jovem Edinara, uma das grandes revelações da Superliga 2016/17"

Auto Notificar:
avatar
Ordenar por:   o mais novo | mais velho | mais votado
Nicola
Visitante

Edinara tem idade para estar na seleção sub23 para tentar o bi campeonato mundial.

Gabi além de ser excelente atleta é um exemplo de ser humano: nesse meio tem muita vaidade, inveja, soberba. A atitude demonstra caráter e educação, que vem de berço, ainda mais por ela ser tão jovem. Parabéns Gabi, sou seu fã;

Rafaela S Cardoso
Visitante

Já quero ver na seleçao principal lololol

Cansada d Garai quinando passe/recepçao, Tandara tomamdo toco por encarar block estrangeiro mirando no chao como se medisse 2m e Natalia amarelando contra os grandes

É baixa pros padroes internacionais mas cheia d INTELIGENCIA, visao d jogo, categoria, controle emocional, estamos necessitados disso!

#alôZéRoberto

Tércio
Visitante

Sou fã de Gabizinha, joga muito. Nossa Edinara vem jogando muito bem, tem um canhão nas mãos. A cada jogo vem se superando, tem bom biotípo, e não tem medo de nenhum bloqueio enfia o braço, admiro essas jogadoras destemidas e que jogam p amor ao esporte. Parabéns, quero te ver na seleção adulta já.

Marcos
Visitante

“sedendo”, Melhor do Vôlei?

wpDiscuz
Translate »