Search
Saturday 14 December 2019
  • :
  • :

Final 100% brasileira garante quinto título mundial feminino do país

Crédito: Divulgação/FIVB; montagem: Melhor do Vôlei

Crédito: Divulgação/FIVB; montagem: Melhor do Vôlei

 

Ainda na véspera da decisão na Holanda, a FIVB já sabe que vai pendurar em pescoço brasileiro a medalha de ouro do mundial de vôlei de praia feminino. E também sabe que a medalha não estará na mala de nenhuma atleta que já tenha bagagem olímpica, embora houvesse quatro jogadoras na delegação com histórias para contar sobre jogar nas areias do olimpo.

 

Nesta sexta-feira, em Haia, mesmo antes de Ágatha/Bárbara Seixas e Juliana/Maria Elisa serem anunciadas pelo locutor na quadra, uma vitória de Taiana/Fernanda Berti garantiu o quinto título mundial feminino do país. E será a segunda vez que a final feminina envolverá apenas atletas de um só país – em 2001, Adriana Behar e Shelda venceram Sandra e Tatiana Minello, em Klagenfurt, na Áustria.

 

Taiana e Fernanda Berti chegaram às semifinais com apenas um set perdido e encararam as alemãs Holtwick e Semmler, que não haviam perdido set algum. No ranking mundial, era o duelo entre a quarta melhor parceria brasileira e a quinta melhor alemã. Se os números prometiam equilíbrio ou dureza, o que prevaleceu é que a dupla brasileira é a sexta do ranking mundial e o time adversário, décimo oitavo.

 

Com parciais de 21-12, 21-15, Taiana e Fê Berti venceram a partida em sets diretos e decidirão o torneio. Nada mal para Fernanda Berti, que disputa seu primeiro mundial na areia. As rivais serão Ágatha e Bárbara Seixas.

 

No confronto brasileiro entre a segunda e a terceira melhor dupla do mundo, prevaleceu a qualidade do saque de Ágatha, com três aces, inclusive, um para fechar o primeiro e outro, o segundo set, parciais decididas por vantagem mínima. Avançou a dupla número dois, ficou para trás a número três, que havia eliminado a número um do mundo – Larissa/Talita – nas oitavas de final.

 

O placar de 2 a 0 (24-22, 21-19) para Ágatha e Bárbara Seixas tirou de Juliana a chance de ser a primeira brasileira a disputar quatro finais de mundial e a terceira a conquistar dois títulos. Resta-lhe lutar pela medalha de bronze e manter, junto com Maria Elisa, a escrita brasileira no mundial feminino deste ano: a de não ser eliminada por uma dupla estrangeira de qualquer disputa por vaga – agora, no pódio.

 

Ágatha/Bárbara Seixas e Taiana/Fernanda Berti vão para a areia em Haia às 16h, pelo horário de Brasília, para a decisão do décimo campeonato mundial feminino, dois times que só perderam um set em toda a competição. Antes, às 15h, Juliana/Maria Elisa enfrenta Holtwick/Semmler pelo terceiro lugar. Pela manhã, a partir das 7h, começam as semifinais masculinas.




Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Auto Notificar:
Translate »