Search
Monday 14 October 2019
  • :
  • :

Guia do Sul-Americano de Clubes Feminino: Curiosidades e informações dos rivais de Sesi e Osasco

Começa nesta quarta-feira (05/02), em Osasco, o Sul-Americano de Clubes Feminino. Como é conhecido de todos, o nível do vôlei Sul-Americano feminino, excluindo o Brasil, não é dos maiores.

Mesmo assim, Sesi-SP e Molico Osasco, os favoritos, tomaram todo o cuidado do mundo para não serem surpreendidos no torneio. Assim como Talmo e Luizomar fizeram para suas equipes, o Melhor do Vôlei foi atrás e traz para vocês informações e curiosidades sobre as outras equipes que participarão do campeonato.

Boca Juniors – Argentina

Sem dúvida, o Boca é o principal candidato a incomodar os brasileiros no torneio. Vice-campeão em 2012, quando perdeu a final para o Sollys Osasco, o time volta a competição, após se ausentar na edição passada, quando o representante argentino foi o Velez. Aliás, para chegar ao torneio, o Boca venceu justamente o Vélez na final da Liga 2013.

Em quadra, a equipe conta com quatro jogadoras da seleção argentina: Aispurua (central), Rizzo (ponta), Cossar (ponta) e Nosach (oposto). A curiosidade fica por conta de Carla Castiglione (foto). A semelhança do rosto e o sobrenome denunciam: ela é irmã da levantadora do Maranhão Yael Castiglione.

Liga Nacional – Peru

Quarta força do torneio, apesar do crescimento do campeonato local, que conta com algumas estrangeiras, entre as quais brasileiras, o time será composto pela seleção sub-23 do Peru, que em 2013 conquistou o titulo dos Jogos Bolivarianos (competição envolvendo países do norte da América do Sul). Angela Leyva (vibrando na foto) e Karla Ortiz são as principais jogadoras do time.

Com a Universidad Cesar Vallejo, o país, em casa, foi vice-campeão em 2013, ficando atrás da Unilever e espera, agora com o a seleção Sub-23, chegar ao menos, nas semifinais.

 

Club Universitario San Francisco Xavier – Bolívia

Conhecido no futebol como Universitário de Sucre, o San Francisco Xavier, cuja a universidade (pública) é a segunda mais antiga da América do Sul, participa pela segunda vez do torneio. Em 2011, também participou de uma edição sediada em Osasco e acabou na terceira colocação. A Bolívia volta a ter representante após não mandar time em 2013. 

Club Universidad Politécnico – Colômbia

Pela primeira vez, a Colômbia irá participar de um Sul-Americano de Clubes. E para seu debut, o país natal de Montaño, a principal jogadora colombiana, mandará uma equipe Universitária: o Club Politécnico Colombiano Jaime Isaza Cadavid . O primeiro adversário do Sesi no torneio não tem nenhuma jogadora conhecida e para disputar o campeonato, precisou derrotar na final do nacional o rival local Club Potros. Ambos são de Antioquia, região de Medellín.

ADO – Chile

O ADO (sigla para Associação dos Desportistas Olímpico) será o terceiro time chileno a participar do torneio (os outros foram a Universidad Católica, por duas vezes, e o Boston College) e assim como as equipes de Bolívia e Colômbia também é formada por Universitárias. A associação é um programa do governo chileno, em parceria com o comitê olímpico local e o Instituto Nacional de Esportes para desenvolver o esportee aumentar as chances de medalhas do país em Jogos Olímpicos e Pan-Americanos. O projeto é baseado numa experiência espanhola pós olimpíadas de 1988.

Universidad de Assunção – Paraguai 

A equipe é a única das oito participantes que esteve na edição de 2013. Na ocasião, o time terminou em último levando parciais de 25-9, 25-5 e 25-3 da Unilever. Com um pouco mais de experiência, espera-se que, pelo menos, o time não perca os jogos por placares como o da partida diante das cariocas no Peru. Dentre as curiosidades do amador vôlei paraguaio está a média de idade (17 anos) e a média de altura (1,67 cm), algo incomum para o Vôlei Atual.

Confira a tabela e outras informações clicando abaixo:

Tabela e informação sobre ingressos para o Sul-Americano em Osasco




Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Auto Notificar:
Translate »