Search
Monday 14 October 2019
  • :
  • :

No Dia das Bruxas, vitória do Mago William, show de Leal e título para o Sada Cruzeiro

Crédito: Divulgação/FIVB

Crédito: Divulgação/FIVB

O duelo prometido entre os cubanos Leal e León, na final do Mundial de Clubes, se cumpriu e terminou com o Sada Cruzeiro levantando o troféu da competição. O time estrelado sagrou-se bicampeão mundial em Betim, neste sábado, com uma vitória por 3 sets a 1 sobre o Zenit Kazan, da Rússia, em parciais de 25-20, 21-25, 27-25, 25-21.

 

“Alegria incrível, momento mágico ganhar dois campeonatos mundiais”, resumiu o levantador e capitão cruzeirense Willam em entrevista à ESPN. Além de um ponto de ataque, William teve atuação destacada, inclusive, chegando a acelerar bolas pelo meio em que levantava de manchete.

 

Enquanto Wallace e Mikhaylov, opostos titulares da decisão olímpica em 2012, tiveram atuação apagada, Leal e León jogaram o que se esperava. Foram os maiores pontuadores do jogo, respectivamente, com 22 e 19 pontos, e Leal teve o bônus de ser escolhido MVP da competição.

 

A escalação do Sada Cruzeiro foi a mesma do título mundial de 2013, contra o Lokomotiv Novosibirsk. William, Wallace, Filipe, Leal, Isac, Éder e Serginho. Rodriguinho, Fernando Cachopa e, principalmente, Alan também entraram em quadra.

 

“Sem demagogia nenhuma, estou longe do meu ideal, poderia ter ajudado ainda mais a equipe”, disse o oposto Wallace, que acabou com apenas sete pontos na partida e aproveitamento de 33,3% no ataque.

 

Wallace passou por uma cirurgia nas costas, em agosto, e voltou a jogar há duas semanas. No primeiro set, o oposto foi substituído por Alan, que mudou o rumo da parcial. O jogo seguia equilibrado, com o Cruzeiro desperdiçando contra-ataques e o Zenit sobrecarregando León no ataque – ainda que contasse com Maxim Mikhaylov e Matt Anderson, principais atacantes, respectivamente, da Seleção Russa e da Seleção Norte-Americana. Alan pontuou no bloqueio, no ataque, incomodou León a ponto de ele errar uma bola importante na reta final do set e o Cruzeiro fez 1 set a 0.

 

No segundo set, Alan se manteve em quadra, mas foi outro jogador das seleções de base que fez a diferença. O oposto Poletaev substituiu Mikhaylov, que, a exemplo de Wallace, não jogou bem, e bagunçou o passe cruzeirense. O Sada até esboçou uma reação, mas parar as cortadas de León foi complicado e o Zenit empatou o jogo.

 

Wallace começou o terceiro set como titular, mas a bola de segurança do levantador William continuou sendo Leal, como foi em toda a competição. Só que, na decisão, pesou o fato de os centrais do Zenit serem menos acionados que os do Sada. Juntos, Éder e Isac marcaram 17 pontos, sendo 13 no ataque, em todo o jogo, ao passo que Gutsaliuk, Kuleshov e, depois, Apalikov, somaram dez pontos de ataque e 13 no total. Além disso, num final de set nervoso, equilibrado, William ainda teve em Filipe um bom desafogo no ataque para desempatar o duelo.

 

No set decisivo, o Zenit parecia cansado, sentindo falta de alguém que revezasse com León a função de botar a bola no chão. Anderson poderia ter sido esse jogador, mas, preso à linha de recepção, marcou só dez pontos no ataque, nada que lembrasse suas atuações, como oposto, pelos EUA. O Sada Cruzeiro, que também aparentava esgotamento, buscou força na arquibancada, abriu vantagem pouco antes do segundo tempo técnico e não foi mais alcançado.

 

O terceiro lugar do mundial de clubes ficou com a UPCN, que venceu o Paykan por 3 a 2 (21-25, 22-25, 25-20, 25-23, 16-14).




5
Deixe um comentário

avatar
4 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
mucioloAdriana Nascimentoalinemanu Recent comment authors
  Subscribe  
o mais novo mais velho mais votado
Auto Notificar:
muciolo
Visitante
muciolo

Só falta agora o Ministério da Justiça conceder ao cubano o direito de se naturalizar e defender o Brasil nas Olimpíadas. Só um cego não consegue enxergar que o Brasil só pega medalha se o cubano estiver em quadra pela amarelinha.

Adriana Nascimento
Visitante

Apoiado 😉

Adriana Nascimento
Visitante

Bom demais ver esse time mais uma vez campeão. Trabalho e dedicação de todos os profissionais envolvidos não só os atletas. Pena não ver o mago William na seleção, gênio, França é campeã europeia com um levantador de 1,82m. Quem sabe ….

aline
Visitante
aline

O que deram o BI-CAMPEONATO MUNDIAL AO CRUZEIRO foram: 1. As defesas incríveis do Serginho. 2. O passe na mão e o excelente aproveitamento de ataque do Filipe. 3. A eficiência ofensiva dos centrais cruzeirenses, ÉDER e ISAC. 4. O poderio da artilharia do LEAL. 5. A magia, a precisão e a distribuição inteligente de William, o melhor levantador do mundo na atualidade. 6. O Wallace que apesar de muito marcado no ataque, teve uma excelente atuação no saque e na defesa. 7. A inversão do 5×1 com o oposto ALAN e o levantador FERNANDO. 8. A atuação da comissão… Ler mais »

manu
Visitante
manu

parabéns cruzeiro, apesar de seu um duelo praticamente cubano, mas foi o brasil e no brasil que ficou o titulo !!

Translate »