Search
Sunday 25 August 2019
  • :
  • :

Praia: Ana Patrícia e Rebecca conquistam o segundo ouro seguido

Pódio completo do torneio feminino. (Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV)

O ano de 2019 começou com muitas vitórias para uma dupla do vôlei de praia brasileiro. Após levarem o ouro na etapa da Holanda do Circuito Mundial, na primeira semana de janeiro, Ana Patrícia e Rebecca (MG/CE) conquistaram o título da etapa de São Luís (MA) do Circuito Brasileiro Open. Triunfo por 2 sets a 1 (21/23, 21/11 e 15/11) sobre Ágatha/Duda na noite deste domingo (27.01), na arena montada na Lagoa da Jansen, que ficou lotada.

A competição contou com formato alternativo de disputa das oitavas de final neste domingo, já que os jogos do último sábado foram adiados por conta da chuva forte, que prejudicou as quadras. Com isso, as oitavas de final foram realizadas em set único de 25 pontos, enquanto quartas e semifinais foram disputadas no formato tradicional, em melhor de três sets.

A vitória na final veio em uma partida muito disputada, com períodos de domínio das duas duplas, mas com a mineira de 1,94m e a defensora cearense brilhando na reta final. O bronze do torneio em São Luís (MA) ficou com Talita/Taiana (AL/CE), que superou Juliana/Andressa (CE/PB). A próxima etapa ocorre em Fortaleza (CE), de 20 a 24 de fevereiro.

Este é o quarto título da dupla em etapas do Circuito Brasileiro. Elas venceram em Maceió (AL) e Aracaju (SE), na temporada passada (17/18) e foram ao lugar mais alto do pódio em Palmas (TO) nesta temporada 18/19, repetindo o ouro agora em São Luís. Ana Patrícia avaliou o desempenho na decisão e a constância da equipe neste ano.

A vitória na final do torneio maranhense rende R$ 45 mil para Ana Patrícia/Rebecca (MG) e faz a dupla subir no ranking geral da temporada com os 400 pontos obtidos. Elas somam agora 1.040 pontos, atrás de Juliana/Andressa (CE/PB), com 1.080 pontos, e de Fernanda Berti/Bárbara Seixas (RJ), que lideram com 1.320 pontos.

Ana Patrícia comentou a união da dupla e força mental, após serem superada no primeiro set, para conseguir reverter o andamento do jogo.

“A gente vem trabalhando demais. Até conversamos hoje no quarto que sacrificamos as festas de fim de ano com a família por um motivo maior, por um objetivo maior. Eu sempre digo para a Rebecca que a energia que temos é inexplicável. Que em momento nenhum a gente se larga, se deixa perder no jogo, e essa união faz muita diferença. A gente vem trabalhando também essa parte psicológica, que todo mundo erra e acerta, então não adianta se desesperar”.

Rebecca destacou a estratégia da dupla em reduzir o período de descanso e disputar a etapa da Holanda, na virada de 2018 para 2019. Além disso, elogiou o público maranhense.

“Não ter tirado férias no final do ano passado e continuar treinando fez a diferença. Chegamos um pouco mais desgastadas que os outros times, ficamos num treino forte neste período. Fomos para o torneio da Holanda, voltamos e continuamos treinando. Conversamos muito para mantermos nossa concentração no jogo, focar no ponto a ponto. Sabíamos da dificuldade que teríamos nesta etapa, mas não queríamos deixar de vir. A torcida acompanhou tudo de perto desde o início, compareceu em peso, mesmo com o adiamento dos jogos no sábado, vieram e lotaram as arquibancadas. Foi incrível”.

Mais cedo, na disputa do bronze, Talita e Taiana (AL/CE) superaram Juliana/Andressa (CE/PB) por 2 sets a 0 (21/19, 21/15), garantindo o primeiro pódio desde a retomada da parceria, no final de 2018. A bloqueadora Talita comentou a emoção de ter a primeira medalha na presença do filho Renato, além da rápida evolução da ‘nova’ parceria.

“Esta etapa foi de muita superação. Foi uma etapa difícil e desgastante, mas estou feliz em voltar a jogar, estar com meu filho por perto. A Taiana tem me auxiliado muito neste processo. Eu fico impressionada que conseguimos já realizar um bom nível de jogo, embora ainda abaixo do potencial que podemos apresentar, principalmente da minha parte. Mas isso mostra que a força mental também conta. Estou muito feliz, é como se eu tivesse vencido o torneio”.

O jogo ficou muito disputado, com os times trocando pontos na vantagem mínima. Bruno Schmidt e Álvaro Filho eram os atletas que recebiam a maior parte dos saques na reta final, sendo testados até o erro. E foi um ataque para fora do campeão olímpico Bruno que deu números finais ao placar, com Ricardo e Álvaro Filho anotando 19 a 17 no tie-break, e o duelo  final por 2 sets a 1.




Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Auto Notificar:
Translate »