Search
Thursday 5 December 2019
  • :
  • :

Rio do Sul salva match point, vence Brasília e assume a quinta posição na Superliga

Crédito: Divulgação/Rio do Sul

Crédito: Divulgação/Rio do Sul

 

Foi suado e na garra. De novo. Rio do Sul/Equibrasil venceu o Terracap/Brasília Vôlei na noite desta terça-feira (16/02) em Santa Catarina por 3 sets 2 (25/22, 23/25, 21/25, 26/24 e 15/9) e “toma” a quinta colocação na tabela da Superliga do adversário. Foi um jogo de altos e baixos do time catarinense, mas que mostrou que as substituições ao longo da partida fizeram toda a diferença. A levantadora Luciana, por exemplo, fez uma partida incrível e recebeu o troféu Viva Vôlei.

 

Rio do Sul/Equibrasil começou o jogo da mesma forma como vem trabalhando sempre nas últimas rodadas. Agressivo, explorando os contra-ataques e ataques poderosos de Helô, Ju Nogueira e Vanessa. Mesmo com um pequeno susto com a levantadora Giovana que sentiu dores no tornozelo durante a parcial, a equipe da casa explorou bem o calor da torcida e fechou a primeira parcial na frente.

 

Na segunda parcial, as visitantes voltaram melhores para quadra. Se Helô começou a ter dificuldades com o bloqueio. O time de Brasília vinha com toda a experiência de Paula Pequeno. Abrindo margem de quatro pontos no set, Brasília foi lentamente caminhando para vencer o set. Rio do Sul até esboçou uma reação e chegou a empatar em 23 a 23. Mas as visitantes fecharam em duas bolas de contra-ataque.

 

No terceiro set, Rio do Sul/Equibrasil foi perdendo seu poder de ataque e o Brasília se aproveitou da situação. Juliana Paz como oposta começou a por fogo no jogo pelo lado das donas da casa, mas a reação esbarrou em bons bloqueios do Brasília. Mas no quarto set uma virada espetacular das rio-sulenses graças ao ímpeto de Juliana Paz e Isabela, que também entrou muito bem, fez com que o time levasse a partida para o tie break.

 

Para o desempate, tudo deu certo para Rio do Sul/Equibrasil. Incrivelmente a equipe abriu 8 a 2 na parcial e levou com muita cautela a decisão. Mesmo com o time de Brasília reagindo aos poucos, foi difícil segurar a bela vantagem. A noite terminou com a vitória e a garantia de mais dois pontos na classificação para as catarinenses.

 

O jogo cadenciado, muitas vezes equilibrado mas sem grande favoritismo das donas da casa foi o diferencial para que Rio do Sul/Equibrasil assumisse o protagonismo que lhe cabe. Para a central Mimi Sosa, o time foi tão guerreiro, salvando match point no quarto set, que não seria possível ver a vitória escapar. “Fizemos um jogão! Muito bom pelo que apresentamos no primeiro e no quarto set e na hora da verdade do desempate. O time mereceu muito a conquista”, explicou.

 

Para o técnico Spencer Lee, o jogo foi de uma emoção só. “A gente nunca deixa de acreditar que a vitória é possível. É uma combinação de coisas muito grande: torcida, jogadoras, reservas, talvez um pouco de sorte. Mas não estamos tendo sorte plenamente. É competência. É trabalho duro e dedicação. Acho que as meninas são merecedoras desse resultado e dessa campanha que estamos fazendo”, observou.

 

A Superliga não para. Nesta sexta-feira (19/02), a equipe enfrenta o Pinheiros/Klar pela décima rodada do returno. A partida será às 19h30 no ginásio Henrique Vilaboim, em São Paulo (SP). E fechando o returno, as catarinenses voltam a jogar apenas no dia 4 de março, contra o Dentil/Praia Clube. O jogo será em Rio do Sul, às 21h30.




8
Deixe um comentário

avatar
6 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
8 Comment authors
FredRodolpho FrancisTitanic 100 anosalexandreAlan Recent comment authors
  Subscribe  
o mais novo mais velho mais votado
Auto Notificar:
Fred
Visitante
Fred

Pensando na seleção, torço muito para que a Natália vá jogar lá fora. Será muito importante para ganhar experiência. Porque na Superliga joga muito, na seleção quando pega time mais alto é toco atrás de toco.
Jogar lá fora contra times com média de altura maior será muito bom pra ela.

Rodolpho Francis
Visitante

Desde a Temporada 12/13 quando foi campeã pelo Rio de Janeiro a Natalia é disputada por times grandes. Ela foi pro Campinas recebendo o Dobro do que recebia no Unilever, na época. O Rio nao paga salários astronômicos pras suas atletas, elas vao pra evoluir mesmo. Na mesma temporada a Jucy recusou ir para o Campinas e dobrar o seu salário. Acho que elas esta certas, uma vez que nem Natalia e nem Jucy jogam bem sob o comando do ZRG. Acredito que o Rexona não conseguirá manter Natalia e Gabi por muito tempo. Principalmente se essas duas forem convocadas… Ler mais »

alexandre
Visitante
alexandre

É difícil fazer prognostico para a próxima temporada. Se as equipes menores conseguirem se manter já será um alivio para a Superliga, porque a crise fará os investidores sumirem. Espero que a Natália permaneça no Rexona, será um prazer ve-la jogar. A Helô deverá receber boas propostas, tomara que aceite a melhor para a sua evolução e não pense só na grana.

Alan
Visitante

Aqui só comentários inteligentes e pontuais. Gostaria muito de ver a Helô no Rio de Janeiro. Gostei da nova Scheilla.
A Paula Borgo poderia ficar no Pinheiros mesmo.

Will Lopes
Visitante
Will Lopes

Time que tem comando dá nisso. Spencer é uma baita treinador, procurar instruir muito bem suas atletas e motivá-las demais. Giovana e a Helo estão dando um show.

^_^
Visitante
^_^

Time do Rio do Sul raçudo demais. Vai ser um erro times maiores em investimento que não tem oposta como o Rexona e o SESI não disputarem Helô e Paula Borgo (diria Rosamaria também, aproveitando que está bancando, mas ela precisa virar ponteira-passadora URGENTEMENTE) enquanto valem pouco no ranking e estão baratas no mercado. Principalmente o Rexona, que vem na base do time BBB – bom, bonito e barato desde que dispensou suas estrangeiras. Já devem queimar boa parte do orçamento para a próxima temporada tentando manter Natália no time. Natália já estava sendo sondada pelos rivais nacionais e pelo… Ler mais »

Vicente Maia
Visitante
Vicente Maia

Espero que você esteja enganada e o Rio de Janeiro consiga manter a Natália, seria uma grande perda para a Superliga sua saída para o exterior, mas com o dólar a essa altura, nunca se sabe. A Paula Borgo está em ótima forma e jogou muito na partida contra o Rio de Janeiro. a Helô deve ir para algum time e mais expressão com certeza, principalmente porque é jovem e é uma oposta que tem altura de oposta e não de líbero. *risos Se ela for para o Osasco, será reserva, nem vai saber o que está fazendo lá e… Ler mais »

Titanic 100 anos
Visitante
Titanic 100 anos

Exatamente Vicente. Paula( pinheiros) e Helo se queiserem se destacar ainda mais em suas carreiras dvem seguir em times mesdiando ano que vem. Agora, se querem se queimar vão pro Sesi ou se quiserem amargar o banco de resevas vão para o Osasco. No rio com certeza renderiam pois o Bernardo além de saber treinar, aposta em suas contratadas tanto que o rio praticamente pra mim não tem oposta. Monique é longe de ser uma oposta nata, é habildosa mas não é de potencia. A Lorene ainda está meio verde pra atuar em um time de ponta e ainda mais… Ler mais »

Translate »