Search
Tuesday 12 November 2019
  • :
  • :

Sheilla: “Se nós passarmos para a próxima fase, vamos ganhar o ouro”

Divulgação/FIVB

Confiante, a oposto brasileira acredita que a equipe ressurgiu dentro da competição.

Na manhã desta sexta-feira (03/08), a seleção feminina de vôlei venceu a China pelas Olimpíadas de Londres por 3 sets a 2, resultado que manteve a esperança da equipe em se classificar para a próxima fase acesa. Para que isso aconteça, o Brasil torce contra Coreia do Sul e Turquia, e ainda tem que vencer a Sérvia no próxima domingo (05/08). Com uma postura diferente em quadra da que apresentada nas últimas partidas, o time de José Roberto Guimarães começou arrasador no jogo, teve chance de fechar a partida no quarto set, mas conseguiu o mais importante ao final das contas, que era a vitória e a recuperação do emocional das atletas.

“Hoje nós viemos muito fortes na defesa e no saque. Jogamos todos os pontos com alegria, que é a maneira do Brasil de atuar. A equipe brasileira joga muito melhor quando nós estamos felizes. A alegria e a motivação de cada uma foi o segredo para vencermos esse jogo”, afirmou a oposto Sheilla, campeã olímpica de Pequim há quatro anos e maior pontuadora do time no duelo contra as chinesas, com 23 pontos.

A ponteira Jaqueline, que voltou a apresentar o voleibol que a consagrou campeã da Superliga deste ano com o Sollys/Osasco, destaca o diálogo entre as atletas para superar as dificuldades. “Fizemos o nosso trabalho, foi uma das nossas melhores partidas até o momento. Foi muito difícil, mas nós conversamos muito uma com a outra para alcançar um bom resultado”.

Pressionada, a seleção teria que vencer de toda maneira a seleção chinesa, que está em grande fase e fez um duelo equilibradíssimo contra as norte-americanas, líderes do grupo. Para a líbero Fabí, o equilíbrio já era esperado.

Divulgação/FIVB

Divulgação/FIVB

“A China é de fato uma equipe muito difícil de enfrentar. Foi uma partida difícil, mas sabíamos das dificuldades. Tínhamos muita pressão porque sabíamos que se perdêssemos, poderíamos dar adeus aos Jogos Olímpicos. Nos dedicamos muito e demos muita energia em quadra”, disse a melhor líbero dos últimos Jogos, que ainda completou.

“Estávamos com muita raiva com a outra derrota (contra os Estados Unidos), temos um grupo complicado. Todos querem vencer, mas se continuarmos assim, será difícil de parar o Brasil”.

Sérvia é o último desafio


Não basta vencer a lanterna do grupo para garantir lugar nas quartas de final das Olimpíadas de Londres: tem que vencer bem e torcer contra Coreia do Sul e principalmente Turquia, que tem quatro pontos – os mesmos do Brasil. E se tudo der certo para o Brasil, Sheilla, que ensaiou uma liderança dentro de quadra nesta sexta-feira, avisa que “temos que pensar agora na Sérvia e ainda depende de outros resultados. Se nós passarmos para a próxima fase, vamos ganhar o ouro”.




Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Auto Notificar:
Translate »