Search
Monday 17 June 2019
  • :
  • :

VNL: República Dominicana joga melhor e vence Brasil

Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV

Dia  ruim para a seleção brasileira. Nesta quarta-feira (22), a equipe de José Roberto Guimarães vacilou e acabou superada pela República Dominicana por 3 sets a 1 (25/22, 25/20 e 22/25 e 28/26), embalada por grandes atuações da levantadora Marte e das atacantes Brayelin Martinez e Bethania De La Cruz. Este foi o primeiro triunfo caribenho após 21 confrontos entre os países.

O Brasil começou a partida com Macris, Paula Borgo, Gabi, Amanda, Mara, Bia e Léia, repetindo a escalação na estreia. Novamente, Gabizinha chamou a responsabilidade na virada de bola, com 29 pontos marcados. Do outro lado, De La Cruz e Martinez fizeram 20 e 18 pontos, respectivamente.

A seleção feminina encerra participação na primeira semana contra a Rússia, nesta quinta-feira (23), às 20h. Mais cedo, as dominicanas encaram a China em busca de nova vitória.

O jogo

As dominicanas começaram melhor o jogo (1 a 4), mas as brasileiras reagiram. Com um ponto de bloqueio de Bia em Rivera, a diferença caiu para um ponto (6 a 7). Na volta do tempo técnico, Rivera se recuperou (7 a 10) para manter a vantagem. Mesmo com pedido de tempo de Zé Roberto, a equipe continuou com dificuldades em virar a bola, resultando nas entradas de Roberta e Lorenne na inversão. No lugar de Paula Borgo, Lorenne fez o Brasil encostar (16 a 17) até que um toque na rede de Rivera resultou no empate. Com as irmãs Martinez e Bethania De La Cruz, o time caribenho voltou a abrir (17 a 20). Voltando da inversão, Macris pontuou no saque, mas as dominicanas levaram a melhor e fecharam em 22 a 25, com um saque na rede de Paula (0 a 1)

O segundo set começou novamente em vantagem para as adversárias. Mesmo com a troca simples de Paula por Lorenne, o Brasil seguiu errando bolas seguidas (5 a 8). Julia Bergmann também foi uma aposta no lugar de Amanda, mas o placar seguiu desfavorável (7 a 12). Neste momento, Gabi chamou a responsabilidade com três pontos de ataques seguidos. Quando parecia que o Brasil iria entrar novamente no jogo, os erros voltaram (14 a 19), com novo pedido de tempo de Zé Roberto. Do outro lado, Brayelin Martinez seguiu muito eficiente e encaminhando o final da parcial na passagem de De La Cruz no saque (14 a 22). As brasileiras ainda buscaram reagir, mas, com 20 a 25, as dominicanas fizeram 0 a 2.

Com Gabi, o Brasil abriu o terceiro set com 3 a 1. mas a ponteira logo foi bloqueada pela levantadora Marte. Após jogadas disputadas, Macris acionou Mara pelo meio de rede (5 a 2). Vendo as brasileiras abrirem, Marcos Kwiek pediu tempo (7 a 2). Vendo o Brasil na frente, Peña entrou no lugar de Rivera (5 a 12), mas Macris seguiu apostando em Gabizinha. Com novas mudanças, as dominicanas encostaram (14 a 11). No saque viagem de De La Cruz e com Peña no ataque, a vantagem brasileira diminuiu ainda mais (14 a 15). Quando o jogo iria apertar, a jogadora do Sesc RJ atacou para fora (19 a 16). Nessa hora, De La Cruz chamou a responsabilidade para garantir o empate (19 a 19). Com lances que levantaram a torcida, o Brasil fez 22 a 20, mas Martinez seguiu lutando pela vitória, até que uma largada de Mara garantiu o set point e a permanência no jogo com um ponto de bloqueio (25 a 22).

Embalada, a seleção do Brasil fez 4 a 1 no início da quarta parcial, mas as dominicanas viraram até o primeiro tempo técnico (6 a 8). Chamada por Zé Roberto, Mayany entrou no lugar de Mara, mas o time adversário veio com mais força no bloqueio (9 a 11). Voltando a ser acionada, Gabi puxou a equipe de volta marcando pontos seguidos (15 a 11). A euforia foi contida quando as dominicanas encostaram (17 a 16), mas voltaram a errar (20 a 17). Tainara entrou novamente no jogo e marcou ponto (22 a 18). Na reta final, o Brasil não soube aproveitar a margem e viu De La Cruz garantir a virada com um bloqueio na central Bia (22 a 23). Na volta do pedido de tempo, Paula Borgo pontuou e Gabi venceu o rally (24 a 23). Apesar do tie-break encaminhado, as dominicanas tiveram o primeiro match point do jogo, mas novamente Gabi salvou o Brasil (25 a 25). Após trocas de pontos, Peña fechou o jogo em 26 a 28.




2
Deixe um comentário

avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Nilce MatosChinaaMelhor Recent comment authors
  Subscribe  
o mais novo mais velho mais votado
Auto Notificar:
Nilce Matos
Visitante
Nilce Matos

Queria entender a mente do Zé. O time precisando de potência no ataque e ele coloca Júlia Bergman, que já tinha entrado no final do 1o set e errado o saque e depois errou tudo que tinha direito. Poderia escolher Mara ou Bia para substituir e demorou a fazer isso. Só a Gabi não é suficiente. O volei é um esporte coletivo.

ChinaaMelhor
Visitante
ChinaaMelhor

Essa meninas só pipocam, péssimas não jogam nada, bem feito que perderam. Foram escolhidas por treinador que não sabe treinar
Vão passar vergonha nesse torneio

Translate »