Search
Thursday 29 October 2020
  • :
  • :

Bauru cai para Minas e não vai aos playoffs

Crédito: Orlando Bento/MTC

Crédito: Orlando Bento/MTC

 

Foi com um capricho cruel dos deuses do voleibol e um 25-9 na parcial derradeira que o Concilig/Bauru falhou no intento de se classificar aos playoffs da Superliga feminina. Se, no primeiro turno, uma derrota para o Camponesa/Minas expôs o desgaste da relação entre treinador e jogadoras, e culminou com a demissão de Chico dos Santos do comando técnico da equipe, o novo revés contra as minastenistas, nesta sexta-feira, foi fatal para as pretensões bauruenses.

 

Com apenas duas vitórias desde aquela partida em dezembro, nem a chegada do técnico Marcos Kwiek foi suficiente erguer para o único time que venceu o Rexona-AdeS no campeonato. Bauru estacionou nos 20 pontos e na décima posição, e não alcança mais o Pjnheiros/Klar, oitavo colocado provisório.

 

O Minas, que disputa ponto a ponto o segundo lugar da competição, subiu para o terceiro lugar, com 46 pontos e 15 vitórias. O time está dois pontos abaixo do Dentil/Praia Clube, dois acima do Vôlei Nestlé, mas com um jogo a mais que as duas equipes, que ainda vão entrar em quadra por esta décima rodada do returno.

 

A vitória do Camponesa/Minas em casa foi por 3 a 0, com parciais de 25-20, 25-16, 25-9. A ponteira Mari Paraíba, com 12 pontos, empatou com a oposta Tandara como maior anotadora do Minas e da partida, e foi escolhida para ficar com troféu VivaVôlei. Bruna Honório, oposta de Bauru, foi a maior pontuadora entre as visitantes, com dez anotações. Em todos os fundamentos de pontuação, a vantagem do Minas foi flagrante: 11 a 4 no bloqueio, 40 a 27 no ataque e 7 a 0 em aces.

 

O Concilig/Vôlei Bauru se despede da temporada 2015-16 da Superliga diante do Sesi, no Ginásio Panela de Pressão, dia 4 de março. No mesmo dia, o Camponesa/Minas vai ao ABC Paulista enfrentar o São Bernardo, de olho no time de Uberlândia e no de Osasco.




Subscribe
Auto Notificar:
guest
3 Comentários
o mais novo
mais velho mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
ALINE MORAES

Quem conhece o Chico dos Santos, sabe do seu temperamento e de sua dedicação, não é a toa que trabalhou por anos com o Bernardinho,
Competência e cobrança são as palavras de sucesso em qualquer lugar, mas em Bauru, dirigentes amadores, e sem experiência, acham que estas meninas eram as tops do Brasil e viram no que deu, trocaram de técnico e ainda conseguiram piorar…Espero que enxerguem técnicos demagogos e jogadoras que não respeitam hierarquias, senão este projeto vai por água abaixo…tenho dito

Mario Teodoro

Nao eh simples assim nao. Nao existe formula acabada
para se ter sucesso como tecnico em qualquer esporte, mas
se o tecnico nao tiver
competencia, nao adianta brigar, espernear que o
time nao avanca e como resultado acaba havendo o
desgaste na relacao, com as jogadoras, patrocinador e
afora vai. Bernadinho, karpol gritam, esbravejam, mas
sao altamente competentes e isto da uma autoridade
natural a eles.

Vicente Maia

Eu, sinceramente, não entendo isso de conflito entre técnico e jogadoras. Quando isso acontece, o time naufraga como um todo e todos perdem. Jogadoras estrelas que querem mandar na equipe e peitar o tecnico são contraproducentes e mais atrapalham do que ajudam.
Certo está o Bernardinho que leva o time com mão de ferro e nenhuma jogadora sonha em bater de frente com ele. A fórmula é simples, o técnico, comandante, manda e as atletas, comandadas, obedecem. Simples assim.

Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x