Search
Wednesday 27 May 2020
  • :
  • :

Brasil arrasa seleção russa e faz duelo de invicto contra os EUA na quinta-feira

Divulgação/FIVB

Bastante acionado na partida, o ponteiro Murilo correspondeu e foi o maior pontuador com 13 pontos.

A seleção masculina conseguiu na noite desta terça-feira (31/07) uma grande vitória pelas Olimpíadas de Londres. Em jogo válido pela segunda rodada da competição, a equipe de Bernardinho, que completou 400 jogos à frente do time, superou os gigantes da Rússia por 3 sets a 0, parciais de 25-21, 25-23 e 25-21. Com muita garra e com o apoio da torcida, maioria dos 14.800 que lotaram o Earl’s Court, os atletas demonstraram muita vontade e encararam os europeus com muita vibração. O saque, o bloqueio e o espírito da equipe foram os diferenciais neste resultado.

Na próxima quinta-feira (02/08), o Brasil medirá forças contra o outro invicto do grupo B, os Estados Unidos, que assim como o Brasil ainda não perderam nenhum set nas Olimpíadas. O jgo será às 16h de Brasília. Já a Rússia encara a Tunísia.

Bastante acionado, o ponteiro Murilo correspondeu e foi o maior pontuador do jogo com 13 pontos, sendo 11 em ataques (e 52% de aproveitamento) e dois em bloqueios. O oposto Leandro Vissotto veio na sequência com oito – cinco em ataques (26%) e três em bloqueios. Os destaques do jogo foram, no entanto, alguns números: a Rússia marcou dez pontos a mais que o Brasil, mas por outro lado cedeu ao time verde-amarelo mais de um set em erros (28).

Pela Rússia, o levantador Alexander Butko usou e abusou das jogadas pelo meio. Com isso, Dmitriy Muserkiy foi o maior pontuador da equipe com 13 acertos: 11 em ataques 84%) e dois em bloqueios. O oposto Maim Mikhaylov veio na sequência com 12: dez em ataques (45%), um em bloqueio e um ace.

O jogo


Lucão marcou o primeiro ponto da partida. No ace de Mikhaylov, a Rússia fez 5/3. Com o erro da equipe verde e amarela, os russos fizeram 8/6 no primeiro tempo técnico. Quando Lucão conseguiu ponto de saque, o Brasil empatou em nove pontos. A Rússia abriu dois e a seleção brasileira buscou o empate novamente em 11/11. O jogo seguiu equilibrado e um bloqueio de Sidão colocou a equipe verde e amarela em vantagem: 15/14. No erro de saque dos russos, os brasileiros fizeram 16/15 na segunda parada técnica. O placar seguiu com diferença de apenas um ponto. No ace de Bruno, o Brasil abriu dois: 20/18. E no ataque de Dante, a seleção brasileira fez 25/21.

A parcial começou equilibrada, com o placar quase sempre empatado. No bloqueio de Lucão, o Brasil passou à frente em 4/3. No lance seguinte, ace de Sidão. Com outro grande saque do meio de rede, a seleção brasileira pontuou e, ao fazer 6/3, o técnico russo Vladimir Alekno pediu tempo. Com boa passagem de Vissotto no saque, o Brasil conseguiu quatro de vantagem: 9/5. Bruno conseguiu mais um ponto de saque e a equipe verde e amarela fez 14/8. Os seis pontos de vantagem foram mantidos na segunda parada técnica: 16/10. Com boa atuação no saque, a equipe de Bernardinho seguiu superior e abriu sete em 21/14. Os russos buscaram e se aproximaram em 22/20. Bernardinho parou o jogo. A Rússia pontuou novamente. O final do set foi bastante disputado e o Brasil fechou em 25/23.

A Rússia começou melhor e fez 2/0. Na sequência, os brasileiros empataram em 3/3. O adversário abriu novamente três pontos de vantagem (6/3), mas a equipe verde e amarela deixou tudo igual em 7/7. No bloqueio de Murilo, o Brasil assumiu o comando do placar (12/11). Em outro bloqueio, desta vez de Sidão, a equipe brasileira fez 14/12. Depois de um grande rally, a Rússia foi para o segundo tempo técnico em vantagem: 16/15. Quando o adversário abriu dois pontos (19/17), Bernardinho pediu tempo. Depois de realizar a inversão, Wallace foi o responsável pelo ponto de empate: 19/19. E, com Sidão, o Brasil passou à frente na jogada seguinte. Com dois bloqueios seguidos de Vissotto, o Brasil chegou ao match point. E, com Murilo, a seleção brasileira fez 25/21 e venceu o jogo por 3 sets a 0.

Brasil: Bruninho (5), Leandro Vissotto (8), Murilo (13), Dante (7), Lucão (6), Sidão (7) e Serginho (Líbero). Depois: Wallace (1), Thiago Alves, Rodrigão e Ricardinho.

Rússia: Alexander Butko (1), Maxim Mikhaylov (12), Taras Khtey (5), Dmitriy Muserkiy (13), Nikolay Apalikov (6) e Alexey Obmochaev (Líbero). Depois: Sergey Grankin, Sergey Tetyukhin (4), Alexander Sokolov e Yury Berezhko (3).




Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Auto Notificar:
Translate »