Search
Thursday 22 October 2020
  • :
  • :

Brasil começa fase eliminatória do Mundial de Vôlei de Praia com 100% de aproveitamento

Crédito: Divulgação/FIVB

Crédito: Divulgação/FIVB

 

O Brasil segue com força máxima em busca de medalhas no Campeonato Mundial de vôlei de praia, na Holanda. As quatro duplas que representam o país no torneio – Ágatha/Bárbara Seixas (PR/RJ), Fernanda Berti/Taiana (RJ/CE), Juliana e Maria Elisa (CE/PE) e Larissa e Talita (PA/AL) – venceram seus jogos pela primeira fase eliminatória (Round 1) e se classificaram às oitavas de final da competição mais importante do calendário 2015.

 

As partidas continuam nesta quinta-feira (02/07), com os duelos das oitavas e quartas de final. Um deles será um emocionante confronto verde e amarelo. Campeãs em 2011, Juliana e Larissa estarão agora em lados opostos. Elas se enfrentam com suas atuais parceiras às 10h (de Brasília), na arena central de Amsterdã. Será o décimo primeiro duelo entre os times, com nove vitórias de Larissa/Talita (PA/AL).

 

Os outros confrontos das oitavas de final das duplas brasileiras terão Ágatha/Bárbara Seixas (PR/RJ) contra Melissa Humana-Paredes e Taylor Pischke, do Canadá. O jogo acontece às 9h, em Apeldoorn. Em Haia, Fernanda Berti e Taiana (RJ/CE) enfrentam as espanholas Elsa Baquerizo e Liliana Fernandez, às 7h30. Em três confrontos entre os times, as espanholas levam vantagem com duas vitórias.

 

Nesta quarta, o Brasil largou com o pé direito. Taiana e Fernanda Berti foram as primeiras a entrar em quadra pela fase eliminatória do Campeonato Mundial. E a dupla dominou as venezuelanas Norisbeth Agudo e Olaya Pazo, na cidade-sede de Haia.

 

Sob forte calor em Apeldoorn, Ágatha e Bárbara Seixas (PR/RJ) encararam Jamie Broder e Kristina Valjas, do Canadá, que se classificaram em terceiro lugar na fase de grupos. Mesmo assim, deram trabalho ao time do Brasil. “Apesar de o time do Canadá ter se classificado somente como terceiro lugar, essa foi nossa a quarta vez que as enfrentamos, e a partir do momento que você enfrenta muitas vezes a mesma equipe, as duplas passam a se conhecer muito bem. Foi um jogo difícil, começamos muito devagar, nossa tática não funcionou. Já no segundo e terceiro set tivemos paciência e executamos o que deveríamos ter feito desde o início da partida”, analisou Ágatha.

 

 

Juliana e Maria Elisa (CE/PE) fizeram um jogo muito movimentado contra as suíças Tanja Goricanec e Tanja Huberli, mas conquistaram a vitória no tie-break.  “Foi um jogo muito complicado, a gente começou cometendo muitos erros, mas felizmente conseguimos nos encontrar em quadra, e principalmente se ajudar. A gente se encontrou, respirou e voltou para o jogo, saindo de um momento de muita dificuldade. Essa superação faz a diferença em uma competição como essa”, disse Juliana.

 

Invictas na competição, Talita e Larissa (AL/PA) buscaram a vaga nas oitavas de final diante de Mariafe Artacho del Solar e Nicole Laird, da Austrália, e foram superiores do primeiro ao último lance. “Foi bom, um jogo importante para a gente crescer e evoluir cada vez mais. Vencemos mais uma etapa, mas amanhã tem mais um jogo. Espero que a gente consiga manter essa sequência e fazer um bom jogo. O crescimento no campeonato é importante, a paciência e a tranquilidade que tivemos para reverter o placar”, destacou Larissa.

 

As quatro duplas brasileiras que representam o país no Campeonato Mundial da Holanda venceram seus jogos nesta quarta-feira (01/07), no torneio masculino, e alcançaram a fase de oitavas de final da competição. E com direito a silenciar a arena na capital Amsterdã, onde os paraibanos Álvaro Filho e Vitor Felipe (PB) venceram os donos da casa e atuais campeões do torneio, Alexander Brouwer e Robert Meeuwsen.

 

Os jogos seguem nesta quinta-feira (02/07), com a disputa das oitavas e quartas de final do torneio. Campeões olímpicos, Ricardo e Emanuel (BA/PR) encaram às 7h, (de Brasília) em Amsterdã os norte-americanos Nick Lucena e Theo Brunner. As duplas já se enfrentaram uma vez, na fase de grupos do Grand Slam de Moscou (Rússia), com triunfo dos brasileiros.

 

Alison e Bruno Schmidt (ES/DF) encaram Isaac Kapa e Christopher McHugh, da Austrália, às 8h (de Brasília), em Apeldoorn. É o primeiro duelo entre as duas duplas. Em Roterdã, Álvaro Filho e Vitor Felipe (PB) duelam às 9h contra Lombardo Ontiveros e Juan Virgen, do México, no primeiro encontro entre as equipes. Na mesma cidade, Pedro Solberg e Evandro (RJ) decidem contra os cubanos Sergio Gonzalez e Nivaldo Diaz uma vaga nas quartas de final do Mundial, às 10h. Também é o primeiro duelo entre eles.

 

O dia começou com triunfo de Alison e Bruno Schmidt (ES/DF) diante de Youssef Krou e Edouard Rowlandson, da França. “Esse time da França é muito forte. No Circuito Mundial já havíamos os enfrentado nos Grand Slams de Moscou e de São Petersburgo, semana passada. É um time que sabe jogar, vem chegando a semifinais e beliscando pódios. Mas tivemos muita consciência daquilo que precisávamos fazer. Conseguimos manter a calma mesmo com o atleta deles sentindo um pouco a perna, e acabamos conquistando mais uma vitória. O caminho é esse. Com o pensamento jogo a jogo podemos ir longe”, analisou Alison, que já sentiu o sabor da conquista do Campeonato Mundial, em 2011 ao lado do ex-parceiro Emanuel.

 

 

Pedro Solberg e Evandro (RJ) abriram a rodada dupla brasileira em Roterdã – que também seria palco mais tarde da partida de Álvaro Filho e Vitor Felipe. E por terem avançado com a terceira campanha dentro de seu grupo, as atletas tiveram pela frente os poloneses Grzegorz Fijalek e Mariusz Prudel, que concluíram a primeira fase em primeiro de sua chave.

Nada, entretanto, que tirasse o foco e a confiança dos cariocas, que levaram a melhor no tie-break. “Um está aqui para ajudar o outro, seja no melhor momento ou nos momentos críticos da partida. Isso aqui é uma parceria, e dessa maneira buscamos ir além dos nossos objetivos”, disse Evandro após conquistar a classificação.

 

Álvaro Filho e Vitor Felipe(PB) tiveram que superar dois desafios para alcançar a fase de oitavas de final. O primeiro obstáculo era o próprio time adversário, formado pelos atuais campeões mundiais Brouwer e Meeuwsen, da Holanda. O segundo era a atmosfera da arena central de Roterdã, tomada pela torcida local e que incentivou os donos da casa sem parar. Mas mesmo assim, os brasileiros foram superiores e levaram a melhor em dois sets.

 

Em Amsterdã, Ricardo e Emanuel (BA/PR) encerraram o sexto dia de disputa do Campeonato Mundial diante dos poloneses Kadziola e Szalankiewicz, com uma vitória por 2 sets a 0. “Viemos preparados para esse jogo e jogamos muito bem o primeiro set. O time se acostumou com nosso estilo de jogo e o segundo set foi mais difícil, mas no final o bloqueio do Ricardo fez a diferença e conseguimos a vitória. Temos muita química juntos, o equilíbrio mental e o entrosamento nessas horas é importante e faz a diferença”, destacou Emanuel.

 

 




Subscribe
Auto Notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x