Search
Saturday 26 September 2020
  • :
  • :

Brasil supera tática-surpresa da Sérvia e fica a uma vitória de mais um título no GP

Foto: FIVB

Falta apenas uma vitória, que pode ser nossa amanhã contra a China, ou daqui a pouco do Japão contra o mesmo rival. Em uma partida difícil, o Brasil conseguiu superar a Sérvia por 3 a 0 (26-24, 25-21 e 25-22) e ficou mais perto de seu nono título no Grand Prix.

Para surpresa de todos, mesmo ainda com chances de título, a Sérvia escalou o time reserva para iniciar o jogo. Já o Brasil iniciou com força máxima, com Sheilla novamente de titular.

Os primeiros pontos do jogo foram equilibrados, mas a partir do quinto ponto a Sérvia abriu e fez 8-4. A mudança na escalação das sérvias pareceu pegar o Brasil desprevenido e o técnico José Roberto Guimarães se viu obrigado a reajustar o time com a bola em jogo.

Foi então após o primeiro tempo técnico que a seleção brasileira começou a entrar no jogo. Com o bloqueio se adaptando as novas jogadoras em quadra, o Brasil conseguiu empatar o jogo em 9-9.

Consciente de estar enfrentando uma outra Sérvia, o Brasil passou a fazer de seu bloqueio(seis pontos no primeiro set contra 1) a principal arma para parar o time adversário. Sheilla (oito pontos na primeira parcial), com sua experiência passou a ser outra grande arma do Brasil. Após passar boa parte do set atrás, o Brasil conseguiu a virada no 19º ponto.

Aí então foi a hora de ter sangue frio, para no prolongamento do set, em dois ataques de muita precisão de Fernanda Garay, fechar em 26-24.

Com as mesmas armas do primeiro set (bloqueio e Sheilla), o Brasil voltou jogando mais solto no segundo set e rapidamente fez 5-1.

Com o novo deixando de ser novidade, o Brasil começou a dar show na defesa e no ataque, chegando com cinco pontos de vantagem no segundo tempo técnico: 16-11. Daí em diante, foi a hora novamente de ter sangue frio, administrar a vantagem e fazer 25-21 e 2 a 0 no jogo.

No terceiro set, o Brasil começou meio instável e permitiu a Sérvia equilibrar a partida. Thaísa levou uma bolada no olho e uma confusão no pedido de um desafio marcaram o ponto a ponto do início da parcial.

Com muito trabalho, o Brasil conseguiu abrir 16-13 no segundo tempo técnico. Daí para frente, foi a hora de, novamente, ter a tranquilidade de administrar o placar e fechar o set em 25-22.

A melhor jogadora da partida foi Sheilla, que no total anotou 19 pontos e foi uma das comandantes de mais uma bela vitória do Brasil em Sapporo.

 




Subscribe
Auto Notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x