Search
Thursday 29 October 2020
  • :
  • :

Campeãs olímpicas, Fofão, do Rexona-Ades, e Dani Lins, do Molico/Nestlé, lideram equipes na busca de mais um título

Crédito: Divulgação/CBV

Crédito: Divulgação/CBV

 

A decisão da Superliga Feminina de Vôlei 14/15 entre o Rexona-Ades (RJ) e o Molico/Nestlé (SP) reunirá duas levantadoras que fizeram história no voleibol brasileiro. Pela equipe carioca, Fofão segue desafiando os limites do esporte e atuando em alto nível aos 45 anos. Com uma das carreiras mais vitoriosas do voleibol, a experiente jogadora é a alma do grupo do Rio de Janeiro na busca do décimo título. No time de Osasco (SP), que luta pelo sexto, a campeã olímpica Dani Lins superou uma temporada marcada por lesões e chega motivada para mais uma final.

 

A levantadora Fofão, que tem quatro títulos da Superliga (98/99, pelo Uniban/São Bernardo (SP), 01/02, pelo MRV/Minas (MG), e, 12/13 e 13/14, pelo Rexona-Ades), já anunciou que o jogo do dia 26 de abril, às 10h, na Arena da Barra, no Rio de Janeiro (RJ), será o seu último em solo brasileiro. Depois de anos dedicados ao esporte, a jogadora decidiu dar um ponto final na carreira e sabe que a final da competição será especial.

 

“Estou completamente focada na partida. É difícil não pensar que será o meu último jogo, mas tenho trabalhado para isso. O frio na barriga e a expectativa são normais. Na semana que vem vão me perguntar muito sobre isso e é algo natural. Só não quero que isso prejudique o grupo. Tivemos uma temporada muito boa e temos tudo para fazer um bom jogo”, disse Fofão.

 

Ao ser questionada sobre o seu momento mais marcante na história da Superliga, Fofão, lembrou da primeira final com o Rexona-Ades na temporada 12/13.

 

“Foi uma decisão muito especial. Joguei boa parte da temporada com dores na panturrilha e não sabia se poderia entrar em quadra até poucos momentos antes da partida. Conseguimos virar a partida depois de estarmos perdendo por 2 sets a 0 no Ibirapuera e acabamos campeãs”, lembrou Fofão.

 

A experiente jogadora também fez questão de elogiar a levantadora Dani Lins, comandante do Molico/Nestlé no jogo do dia 26 de abril.

 

“Fico feliz pela Dani Lins. Ela amadureceu como jogadora e cresceu muito nos últimos anos. As conquistas dela na seleção e nos clubes me deixaram muito contente. Ainda quero assistir muito ela brilhando nas quadras”, contou a levantadora do Rexona-Ades.

 

Quando Fofão se aposentou da seleção feminina, depois da conquista da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, Dani Lins assumiu o posto de titular do grupo brasileiro. Em sua primeira Olimpíada, em Londres, em 2012, a jogadora ficou com a medalha de ouro e tem em Fofão uma inspiração.

 

“A Fofão é um exemplo de talento, humildade, simplicidade e liderança. Ela está com 45 anos e continua jogando em alto nível. Aprendi muito com ela ao longo dos anos e é um prazer poder jogar contra ela”, disse Dan Lins.

 

Nesta temporada, a jogadora de 30 anos teve que superar dores nas costas e lesões ao longo da Superliga para chegar a mais uma decisão. Na busca pelo seu sexto título (04/05, pelo Finasa/Osasco (SP), e, 06/07, 07/08, 08/09 e 10/11 pelo Rexona-Ades), Dani Lins deixou os contratempos para trás e chega confiante para o duelo contra o Rexona-Ades.

 

“Estamos numa crescente e alcançamos essa final em um bom momento. Tive uma temporada complicada, mas os problemas ficaram para trás. Estou feliz, sem dor e muito motivada para esse jogo. Sabemos que vamos precisar jogar nosso melhor voleibol e será uma partida difícil. O Rexona-Ades fez uma grande campanha e vai jogar em casa. O lado psicológico também será importante para essa decisão”, finalizou Dani Lins.




Subscribe
Auto Notificar:
guest
1 Comentário
o mais novo
mais velho mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Titanic 100 anos

FOFÃO fará falta não só no quesito competência, habilidade, paciência, por isso ela merece todos os títulos que tem. Seu profissionalismo, humildade foi o que fez dela essa baita campeã. Sempre ali pronta a aprender, sempre na reserva, pacientemente soube trilhar seu caminho no voley até que enfim a hora dela chegou e se transformos nesse monstro das quadras. Ela com certeza tem que ser exemplo para as futuras gerações. Nunca a vimos com nariz empinado, nunca a vimos falar, dar entrevistas com arrogância. Nâo é atoa que essa mulher vale ouro. Fofão o titanic a respeita muito, sempre torci… Ler mais »

Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x