Search
Saturday 26 September 2020
  • :
  • :

Circuito BB: Na ‘fábrica’ de craques do vôlei de praia, nove atletas jogarão em casa

Créditos: Divulgação/CBV

Se o Rio de Janeiro é apontado como berço do vôlei de praia no Brasil, o estado do Espírito Santo é uma espécie de fábrica de talentos do país. Nomes de destaque do esporte, como os medalhistas olímpicos Alison, Fábio Luiz e Larissa, além do campeão mundial Loiola, nasceram em solo capixaba. E a capital Vitória será justamente o palco de abertura do Circuito Banco do Brasil temporada 2014/2015. A primeira etapa acontece de sexta-feira (29.08) a domingo (31.08) na arena montada na Praia de Camburi.

E a torcida local terá muitos atletas para apoiar na primeira etapa. Dos 64 atletas inscritos para a primeira etapa, nove jogadores nasceram no Espírito Santo. Alison, Fábio Luiz, Fernandão, Luciano e Edson Filipe no torneio masculino, além de Elize Maia, Larissa, Lili e Luana no torneio feminino. Motivação extra para Lili, que defende o título da última etapa disputada em Vitória, em 2013, e retoma uma antiga parceria.

“A torcida ajudou muito no ano passado, acredito que será novamente assim e espero que eles façam a diferença. Os capixabas gostam muito do vôlei de praia e vários atletas saíram daqui. Além disso, vou retomar a parceria com a Luana para esta etapa. Jogamos muito tempo juntas e somos muito amigas, dentro e fora de quadra. Isso facilita. Foram também seis dias de treinamentos para buscarmos um bom resultado”, disse Lili, que voltará a jogar com Rebecca a partir da segunda etapa, após a parceira ter sido mãe.

Quem também vai com nova formação jogando em casa é Fernandão, natural de Marataízes. Ele jogará ao lado de Harley e espera contar com o apoio dos capixabas para subir ao pódio.

“A torcida acaba sendo o terceiro jogador da dupla. Precisamos fazer nossa parte e apresentar um bom voleibol para sempre termos o apoio das arquibancadas, mas estou confiante. O Harley é um grande atleta, acho que será a junção da experiência dele com a minha vitalidade. Sou um bom bloqueador e ele é um craque na defesa. Vou buscar aprender bastante e ajudá-lo ao máximo para termos os resultados esperados”, disse Fernandão.

E o segredo para tantos bons jogadores está no trabalho de base. Principalmente com o técnico Leandro Brachola, responsável pelo COES (Comitê Olímpico do Espírito Santo). Por suas mãos passaram atletas como Alison, Lili, Fábio Luiz, Rhuan Ferramenta e até mesmo Bruno Schmidt, que é natural de Brasília, mas mudou-se para o Espírito Santo em 2005 e adotou o estado desde então, para treinar e morar.

“Acho que o segredo é a água (risos). Na verdade, muito do sucesso do vôlei de praia entre os capixabas é ‘culpa’ do Brachola. Ele criou essa base, até outros atletas de fora vinham para cá para serem treinados por ele. A qualificação dele fez com que o estado se tornasse essa referência”, disse Lili, que tem análise similar a de Fernandão.

“Além de ser um estado com litoral muito grande, ter um clima que incentiva, o trabalho de base é bastante incentivado. Começa como forma de lazer e depois vai se tornando algo profissional. O Brachola é uma referência e o número de ídolos formados aqui foi incentivando novas gerações”, destacou Fernandão.




Subscribe
Auto Notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x