Search
Wednesday 28 October 2020
  • :
  • :

Com frieza e maturidade, RJX desbanca Minas e chega pela primeira vez à final

Foto: Divulgação/CBV

Contando com o apoio de sua torcida, o RJX fez história nesta sexta-feira (05/04) e após 13 anos coloca um clube carioca novamente na final da Superliga Masculina. Com um placar de 3 a 1 no Maracanãzinho, com parciais de 29-27, 25-17, 22-25 e 27-25, o time do Rio de Janeiro chega em dois anos de projeto à sua primeira final.

O jogo foi espetácular. O primeiro set foi disputado ponto a ponto e o máximo que cada time conseguiu abrir foi a vantagem de dois. O RJX ficou a frente no segundo tempo técnico, depois o foi a vez do Minas  e o set foi se alongando. De um lado, era show de Marcelinho, Lucarelli e Filip, do outro, era de Bruninho, Lucão e Théo. No fim, com um bloqueio de Thiago Alves, o RJX fechou em 29-27.

O Minas mostrou no segundo set ter sentido a derrota. Jogando mau e errando demais (11 contra 4 do adversário), foram facilmente superados pelos cariocas. Com uma vantagem grande desde o começo do set, o RJX venceu por 25 a 17.

No terceiro set, parecia que tudo se encaminharia para o final do jogo, ainda mais quando o RJX abriu 14 a 10, mas numa virada incrível, com cinco pontos seguidos, o Minas virou e abriu. Desta vez, os erros estiveram mais presentes no lado carioca (13-6) e com isso os mineiros venceram e seguiram vivos com um 25-22.

Na parcial seguinte, o Minas foi para o tudo ou nada e conseguiu tudo o que queria. Arriscando no ataque e chegando preciso nos bloqueio, Maurício e Lucarelli foram os destaques do set. Porém essa seria a história de o time visitante tivesse mantido a vantagem de quatro pontos que chegou a ter no set. Só que com calma o RJX foi tirando cada um dos pontos de vantagem e colou com 23 a 22. Um erro de comunicação que atrasou o retorno de uma substituição, que irritou o jogador Maurício e o auxiliar Ricardo Picinin, desequilibraram mais o Minas que tomou o empate e a virada no 25-24, após um ace de Thiago Alves e um ataque de Da Silva.

Com a torcida inflamada e um bloqueio, o RJX fechou em 27-25 e garantiu sua primeira participação em final de Superliga.

Emocionado, Thiago Alves, considerado o herói do jogo, lembrou das dificuldades no playoff e salientou a força do grupo. “Quase perdemos aqui no primeiro jogo, fomos muito criticados pela maneira que a gente jogou lá, ouvimos um monte de besteira durante a semana e aqui ficamos atrás nesse quarto set. Ganhamos por duas coisas: o time é unido, mostrou garra e também pela torcida que lotou o ginásio”

Marcelinho, emocionado, desabafou ao final do jogo. Foto: Divulgação/CBV

Também emocionado, Marcelinho fez um desabafo, de quem foi rotulado como um atleta velho. “Na fase que eu estou é difícil falar algo. No inicio da competição ninguém falava da nossa equipe e chegarmos aonde chegamos, para mim, onde falavam sempre 38 anos, 38 anos, idade que eu tenho realmente, mas eu ainda consigo jogar igual a qualquer levantador do mundo e isso é motivo de orgulho muito grande. Estou muito feliz de participar de um campeonato muito difícil e representar um time e um patrocinador que dá as condições de eu jogar o que estou jogando aos 38 anos. E ninguém vai me fazer parar, vocês ainda vão me ver muito em quadra.”

Mais tranquilo que os companheiros, o central Lucão, eleito o melhor em quadra, falou da confiança que o time teve para fazer o resultado e de como chegam para a decisão. “Fizemos uma reunião após a derrota e foi super positivo. Ganhamos confiança e fizemos nossa melhor semana de treinos. E isso fez muita diferença. Vamos fortes e motivados para a final. Temos que melhorar alguns vacilos que demos e que na final não pode acontecer e agora é descansar e treinar enquanto esperamos a final”.

A grande final da Superliga Masculina, entre RJX e Sada Cruzeiro, acontecerá no dia 14 de abril no Maracanãzinho, às 10 horas.




Subscribe
Auto Notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x