Search
Thursday 22 October 2020
  • :
  • :

Com Minas duplamente desfalcado, Sollys atropela e está na final

 30/03/12 – O Sollys/Nestlé (SP) é o primeiro finalista da Superliga feminina de vôlei 11/12. Nesta sexta-feira (30.03), a equipe paulista foi até Belo Horizonte e venceu a Usiminas/Minas (MG) por 3 sets a 0, parciais de 25-18, 25-18 e 25-18, em 1h17, na Arena Vivo. Com o resultado, a equipe de Osasco fechou a série melhor-de-três em dois jogos a zero e chegou à sua 11ª final consecutiva da competição. A equipe paulista é tetracampeã (02/03, 03/04, 04/05 e 09/10).

Ao final da partida quando as equipes se comprimentavam na rede a ex-minas tenista Ivna deu um "tapinha" mais forte e a cubana Herrera foi tirar satisfação. Uma pequena confusão foi criada entre elas e outras jogadoras, mas logo a turma do deixa disso entrou em quadra e esfriou os ânimos.

O adversário na decisão sairá do duelo entre Unilever (RJ) e Vôlei Futuro (SP). O time carioca venceu o primeiro confronto por 3 sets a 0 e, neste sábado (31.03), jogará em casa, no ginásio do Maracanãzinho, a segunda partida da série semifinal, a partir das 10h, com transmissão ao vivo da TV Globo. Se vencer, o time carioca estará na decisão. Para a equipe de Araçatuba só a vitória interessa para forçar a realização da terceira partida.
 
 
A decisão da Superliga feminina está marcada para o dia 14 de abril e será disputada no ginásio do Maracanãzinho.

Eleita a melhor jogadora da partida, a líbero Camila Brait destacou a força do grupo e disse que os preparativos para a decisão já devem começar. “Não tem favorito. Final é sempre uma final. Será um jogo só que decidirá a Superliga. O que vai valer será a vontade. Nosso grupo está convicto disso e vai trabalhar intensamente durante estas duas semanas”, afirmou a jogadora, com o Troféu VivaVôlei nas mãos.

A maior pontuadora da partida foi a central Adenízia, do Sollys/Nestlé. A meio de rede do time paulista marcou 18 pontos – nove deles no bloqueio. Pela equipe mineira, a cubana Herrera foi o destaque, com 10 acertos.

Levantadora do Sollys/Nestlé, Fabíola era uma das mais emocionadas após a partida. “Foi uma semana difícil para mim. Tive problemas familiares e precisava estar muito concentrada para esta partida. É a primeira vez que chego numa final de Superliga como titular de uma equipe grande, como o Sollys/Nestlé. Já fico imaginando como será essa decisão. Estou feliz e vamos trabalhar para buscar este título”, desabafou Fabíola.

Do outro lado da quadra, a tristeza pela eliminação era evidente. Central da Usiminas/Minas, Natasha lamentou a ausência da oposto Daymi e da ponteira Mari Paraíba. A cubana não jogou por ter levado o terceiro cartão amarelo e a Mari, não se recuperou de uma lesão no joelho.

“Sabíamos que o Sollys/Nestlé era uma equipe forte e favorita. Nosso time se empenhou ao máximo, mas o adversário estava muito bem preparado. A Daymi e a Mari fizeram muita falta. Mas nosso time jogou a Superliga numa crescente. Agora, é bola para frente que tem muita coisa boa ainda para acontecer com todos nós”, disse Natasha.
 
 

O jogo

A partida começou equilibrada (3/3). No erro do Sollys/Nestlé, a Usiminas/Minas chegou à frente no primeiro tempo técnico: 8/7. No bloqueio de Natasha, a equipe da casa abriu dois de vantagem (10/8). E foi no mesmo fundamento, com Fabíola, que o time paulista empatou em 10 pontos. Na segunda parada técnica, a diferença também era de dois pontos, mas a favor dos visitantes (16/14). A partir daí, o Sollys/Nestlé foi superior e venceu o primeiro set por 25/18.

A Usiminas/Minas abriu 3/0. O time paulista encostou e empatou em 8/8. O Sollys/Nestlé abriu boa vantagem em 13/17. As donas da casa buscaram o jogo e, em boa sequência de saque de Herrera, encostou em 17/16. Mesmo com a garra das jogadoras da equipe mineira, foram as atletas do Sollys/Nestlé que seguiram em vantagem e fecharam o set em 25/18.

O terceiro set foi totalmente dominado pelo Sollys/Nestlé. Na segunda parada técnica, a vantagem do time paulista já era de seis pontos. As donas da casa não conseguiram se encontrar em quadra e não tiveram forças para reagir. Bem no bloqueio, a equipe de Osasco abriu oito pontos de vantagem (20/12). Com destaque para os ataques e bloqueios da central Adenízia, o Sollys/Nestlé marcou 25/18 e selou a vitória e a classificação para a decisão.

Usiminas/Minas – Claudinha, Carla, Herrera, Carol, Natasha e Fernanda Isis. Líbero: Tássia. Entraram: Flavinha, Lenisse e Daniele. Técnico – Jarbas Soares

Sollys/Nestlé – Fabíola, Hooker, Tandara, Jaqueline, Adenízia e Thaísa. Líbero: Camila Brait. Técnico – Luizomar de Moura. 



Subscribe
Auto Notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x