Search
Tuesday 29 September 2020
  • :
  • :

Com Ramirez, Halkbank terá trio de cubanas no elenco

Ramirez, Salas e Sánchez jogarão juntas na Turquia (Imagens: Divulgação)

Por Júnior Barbosa

A ponteira/oposto Daymi Ramirez, ex-Dentil/Praia Clube, não será a única cubana no Halkbank na temporada 2017/2018. Depois de confirmarem o retorno da atleta ao clube, os dirigentes anunciaram a renovação de contrato com a ponteira Wilma Salas e a chegada da central Rachel Sánchez.

Ramirez teve uma rápida passagem pelo clube, em 2014, depois de ter jogado no Azerbaijão e na China. Bastante conhecida da torcida brasileira, a atacante foi o destaque do Praia Clube na temporada 2010/2011 e ainda jogou no Minas e no extinto Campinas antes de se aventurar pelo voleibol europeu e asiático. Ela retornou ao país e vestiu a camisa do Praia nos últimos três anos.

Este será o segundo ano de Salas no Halbank. Uma curiosidade sobre a jogadora é a adoção do sobrenome Aslihanova. Ela e mais três atletas cubanas adquiriram cidadania no Azerbaijão quando atuaram pelo Rabita Baku.

Já Sánchez, que estava no rival İdmanocağı, vem para reforçar o meio. A central também atuou no Cazaquistão e defendeu os tradicionais Volero Zurich (Suíça) e RC Cannes (França).

 

 

Já conferiu as promoções de camisas de vôlei na FutFanatics? Corre lá

 




Subscribe
Auto Notificar:
guest
3 Comentários
o mais novo
mais velho mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Aninha Carvajal

A Impressão que dá é que as Cubanas quando defendem clubes perdem um pouco da potencia e da garra que tem quando estão na seleção, o ritmo de treino em outros países é meio que “folgado” em relação aos da Ilha caribenha, vi um documentário que os Atletas treinam em ginásios e academias totalmente destruídos, aparelhos dos anos 80 ou seja da dó de ver como eles ralam pra ganhar o mundo.. As cubanas ate perdem aqueles corpos musculosos e atléticos em clubes… uma pena

Kimerov

As cubanas que ganharam o mundo melhoraram bastante de vida. São mais estabilizadas,mandam dinheiro para a família, tem muita assistência em seus clubs. Assinam contratos independentes, movimentam contas bancárias próprias, consumem e intensificam vaidades. Muitas cubanas estão atuando em inúmeros clubs espalhados pelo mundo. Elas são exemplos para suas compatriotas que vale mais sair de Cuba ou melhor deixar de jogar pela seleção do pais do que viver sobre regras ultrapassadas impostas pela Federação Local. Com certeza a garotinha Melissa Vargas vai querer sair de Cuba. Na Base elas estão na disputa do Mundial sub 20 feminino. Que esse trio… Ler mais »

Santa

Nada como os ares do Brasil não é Ramirez? Ficou com a pele tão bonita!!! Kisses.

Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x