Search
Tuesday 27 October 2020
  • :
  • :

De olho em 2016, brasileiros do vôlei de praia destacam importância do desafio contra os EUA

Jogos reunião a nata dos dois países (Foto: Divulgação/CBV)

Jogos reunião a nata dos dois países (Foto: Divulgação/CBV)

A praia de Copacabana, na zona Sul do Rio de Janeiro, poderá sentir um pouco do clima olímpico em uma prévia do que serão os Jogos de 2016. É que o Desafio ‘Melhores do Mundo: Brasil x EUA’ de vôlei de praia começa a partir desta quinta-feira (26), justamente no palco que receberá a competição mais importante do esporte. Nesta quarta (25), na apresentação do evento, os atletas brasileiros destacaram a importância da competição como preparação para o Circuito Mundial e, consequentemente, ciclo olímpico.

Ricardo, que disputa vaga em busca de sua quinta Olimpíada, destacou o nível dos atletas selecionados pelos dois países e lembrou que o confronto marca a maior rivalidade do vôlei de praia mundial. Durante a entrevista, o campeão olímpico de 2004 também recebeu elogios de Phil Dalhausser, um dos adversários nesta quinta.

“É um torneio muito importante, reúne grandes atletas, times que estão sempre disputando títulos no Circuito Mundial. Além de tudo é um clássico no vôlei de praia mundial. Estou muito motivado, a competição faz parte do nosso planejamento e espero representar nosso país da melhor forma possível. São duas potências mundiais com muita qualidade. É uma boa preparação para o que encontraremos nos torneios da FIVB (Federação Internacional de Voleibol)”, analisou o baiano.

O vice-presidente da CBV (Confederação Brasileira de Voleibol), Neuri Barbieri, também destacou a importância da competição, que terá todos os jogos transmitidos ao vivo pelo canal SporTV e transmissão das partidas finais pela TV Globo. “Gostaria de agradecer ao empenho de todos na realização deste torneio. Da organização aos atletas. O Luiz Paulo (diretor da InterSport) sempre esteve ao nosso lado, incentivando e fomentando o vôlei de praia. Este é um campeonato inédito em nosso país, que servirá como porta de entrada para uma sequência de grandes eventos do gênero”, destacou.

Juliana, campeã do Circuito Mundial de 2014 ao lado de Maria Elisa, também lembrou o caráter diferente da competição que terá confrontos apenas entre duplas dos dois países. Nas etapas internacionais, frequentemente duplas da mesma nacionalidade se enfrentam em busca das melhores colocações.

“Lembro que na edição de 2009, todos ficavam na torcida pelo outro time do Brasil que entraria em quadra. Depois do meu jogo contra a Walsh e May, fui torcer para Alison e Harley. Alguns anos depois estou novamente aqui, com uma parceira nova e atual campeã do Circuito Mundial. Estou feliz por iniciar a temporada com o desafio”, afirmou Juliana, eleita melhor dupla junto de Maria Elisa, além de esportista do ano pela FIVB em 2014.

Medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, ao lado da ex-parceira Juliana, Larissa também comemorou o retorno aos grandes eventos. Ela abandonou a aposentadoria no meio de 2014 e atualmente lidera o circuito nacional.

“É ótimo poder estar de volta, disputar essas grandes partidas. O que move o atleta são os grandes desafios, e este é mais um deles. Sabemos que os dois países dominam o cenário de conquistas internacionais, então será um bom termômetro para o Circuito Mundial. Queremos fazer o melhor e será um show para os torcedores, uma prévia do que teremos no Rio de Janeiro em 2016”, comentou.

Destaques do torneio

Participam do “Melhores do Mundo Brasil x USA – vôlei de praia” 32 atletas, 12 estiveram presentes em Jogos Olímpicos e oito são medalhistas. Pelo Brasil destacam-se Emanuel (prata em Londres, bronze em Pequim e ouro em Atenas), Ricardo (bronze em Pequim, ouro em Atenas e prata em Sydney), Larissa (bronze em Londres), Juliana (bronze em Londres) e Talita (participação nos jogos de 2008 e 2012). Completam o time brasileiro: Maria Elisa; Ágatha e Bárbara; Maria Clara e Carol; Bruno Schmidt e Thiago Barbosa; Pedro Solberg e Evandro; e Álvaro Filho e Vitor Felipe.

Entre os americanos, os maiores nomes são: Kerri Walsh (tri campeã olímpica em 2004, 2008 e 2012), April Ross (prata em Londres), Jennifer Kessy (prata em Londres), Phil Dalhausser (ouro em Pequim), Sean Rosenthal (participação nos jogos de 2008 e 2012) e Jake Gibb (participação nos jogos de 2008 e 2012). Outras presenças confirmadas são: Casey Patterson; Theo Brunner e Nick Lucena; John Hyden e Tri Bourne; Emily Day; Lauren Fendrick e Brooke Sweat; Jennifer Fopma e Summer Ross.

Rivalidade Brasil e Estados Unidos

Das 30 medalhas olímpicas já disputadas no vôlei de praia desde os Jogos de Atlanta 1996, o Brasil conquistou 11 (2 de ouro, 6 de prata e 3 de bronze) e os Estados Unidos 9 (6 de ouro, 2 de prata e 1 de bronze). No Campeonato Mundial, realizado a cada dois anos desde 1997, são 9 títulos para o Brasil e 5 para os Estados Unidos. Já no Circuito Mundial, disputado desde 1989 (masculino) e 1992 (feminino), o Brasil conta com 35 vitórias e os Estados Unidos com 9.

Em 2009, na cidade de Phoenix, nos Estados Unidos, foi realizado o World Challenge USA x Brazil, edição americana do “Melhores do Mundo”. Os Estados Unidos foram os campeões, com a vitória decidida no último jogo, quando Dalhausser/ Rogers venceram Alison/Harley por 2×0. Na final feminina, Juliana e Larissa ganharam de Kerri Walsh e Misty May também por 2×0.

No Brasil, entre 2002 e 2008, havia o Desafio dos Reis e Desafio das Rainhas – Brasil x USA, na praia de Ipanema, que levava o vencedor do Rei e Rainha da Praia a jogar com sua parceria contra o Rei e Rainha da Praia americano e seus parceiros. Os países se enfrentaram 12 vezes, sendo que o Brasil venceu 8 destes confrontos.




Subscribe
Auto Notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x