Search
Thursday 22 October 2020
  • :
  • :

Em alta, Macris fala sobre o momento que está vivendo na Seleção

Crédito: Divulgação/CBV

Crédito: Divulgação/CBV

 

O ano de 2015 tem sido marcante para a levantadora Macris. Aos 26 anos, a jogadora foi eleita a melhor da sua posição na Superliga pelo segundo ano consecutivo e ganhou sua primeira chance na seleção adulta. Há duas semanas, mais um sonho realizado. Macris fez sua primeira partida como titular com a camisa verde e amarela, no terceiro dos quatro amistosos entre Brasil e Japão, e ajudou as brasileiras a vencerem as nipônicas por 3 sets a 2.

 

A última quinta-feira (25/06) foi dia de outra estreia para a atleta. Macris embarcou com a delegação brasileira para Arnhem, na Holanda, onde o Brasil realiza um período de aclimatação para o Grand Prix. Essa foi a primeira viagem internacional da levantadora que vive a expectativa de sua estreia na tradicional competição anual.

 

“Essa temporada na seleção está sendo maravilhosa. Procuro aprender e aproveitar cada momento. Quero crescer como jogadora e essa bagagem do dia a dia na seleção será muito importante para isso”, disse Macris, que não teve dificuldades em sua primeira viagem internacional.

 

“Foi tranquilo. Não estranhei muito, apesar de ser diferente escutar as pessoas falando outra língua ao seu redor e você ser uma minoria”, brincou a jogadora.

 

Para Macris, a possibilidade de treinar com o técnico tricampeão olímpico José Roberto Guimarães está sendo um diferencial. A jogadora lembra que pelo fato de ter sido levantador, o treinador consegue passar informações que muitas vezes passam despercebidas.

 

“É período de muito aprendizado. O Zé Roberto enriquece o meu repertório. Ele enxerga alguns detalhes que muitas vezes eu não percebia, como a movimentação. Ele vai dando soluções e tem uma visão incrível do jogo”, elogiou Macris, que também ganhou palavras de incentivo do treinador.

 

“A Macris está mostrando o seu potencial no dia a dia dos treinamentos e nos jogos. Ela é rápida, defende bem, tem um bom saque e posicionamento. É uma levantadora interessante e que gosta de treinar”, afirmou José Roberto Guimarães.

 

Pinheiros e Brasília Vôlei

 

O ano de Macris começou com o título da Copa Banco do Brasil, que foi disputada em Cuiabá, no Mato Grosso. A jogadora foi um dos destaques na campanha do Pinheiros, que venceu equipes favoritas ao título para ficar com a medalha de ouro, como o Rexona-Ades (RJ) e o Sesi-SP.

 

“Foi uma temporada muito boa e a vitória na Copa Brasil coroou nossa dedicação. Gosto do trabalho do Wagão (treinador do Pinheiros) e os anos que passei lá foram de crescimento e amadurecimento. Ele tem um estilo de treinamento parecido com o da seleção e, por isso, não estranhei muito esse início de trabalho. Fiz muitos amigos por lá”, garantiu a jogadora que na próxima temporada vai defender o Brasília Vôlei.

 

“Essa ida para Brasília foi positiva. Certos momentos nas nossas vidas, precisamos buscar novas experiências para crescer como atleta e pessoa. Eu nunca tinha saído de São Paulo, será um experiência nova e minha motivação é enorme”, ressaltou a levantadora que começou a carreira no São Caetano e passou ainda pelo São Bernardo, antes de se transferir para o Pinheiros.

 

Sobre o futuro, Macris procura dar um passo de cada vez para realizar o seu grande sonho como atleta. “Espero melhorar a cada dia. A minha meta é ser campeã olímpica e não fico pensando nisso como algo difícil de ser alcançado. Preciso melhorar e evoluir bastante para tornar isso possível e trabalho forte todos os dias com esse objetivo”, finalizou Macris.

 

Entenda o Grand Prix

 

De 3 a 18 de agosto, as 12 principais seleções disputarão a fase classificatória. A cada semana, serão formados três grupos com quatro seleções em cada, definidas em sorteio. Nesta etapa, o Brasil jogará em três cidades diferentes: Bangcoc (Tailândia), São Paulo e Catania (Itália). A estreia das brasileiras será no dia três de julho contra o Japão. O time verde e amarelo é o atual campeão e luta pelo 11º título.

 

Ao fim da fase de classificação, as cinco equipes mais bem colocadas avançarão à fase final, que contará ainda com os Estados Unidos, país sede. A fase final acontecerá de 22 a 26 de julho, em Omaha, nos Estados Unidos.

 

 




Subscribe
Auto Notificar:
guest
3 Comentários
o mais novo
mais velho mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Stênio

Vocês poderiam divulgar aqui a lista das jogadoras que irão disputar o Grand Prix e a lista que disputará o Pan-Amaricano…

Aline

Querido, algumas jogadoras do PAN 2015 para você:
Macris e Tiemi – levantadoras.
Angélica, Bárbara e Adenísia – centrais.
As atacantes Jaqueline, Fernanda Garay, Michele, Joycinha e Rosamaria.
A líbero Léia.
Tá faltando uma… Será a Monique???
Pelo que MACRIS vem jogando tanto na SUPERLIGA quanto na SELEÇÃO,DANI LINS perdeu a vaga de titular na SELEÇÃO. Desde a época VENTURINI/FOFÃO não vejo levantadoras atuarem com a precisão que MACRIS tem apresentado.
Esse time para o PAN está bem forte, só tenho dúvidas na posição de oposto, mas as outras posições estão bem servidas!

[…] jun 29, 2015RedaçãoEntrevistas, Nacional, Seleções0 […]

Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x