Search
Tuesday 7 April 2020
  • :
  • :

Em jogo emocionante, Brasil vence Rússia no Grand Prix

Foto: Alexandre Arruda/CBV

A seleção brasileira feminina de vôlei e a Rússia tiveram, neste sábado (03.08), mais um capítulo da histórica rivalidade entre os dois países. Em um jogo tenso e equilibrado, o Brasil venceu, de virada, as russas por 3 sets a 2, parciais de 26-28, 26-24, 25-19, 22-25 e 15-8, em 2h22 de jogo, na Arena Amil, em Campinas (SP). A partida foi válida pelo grupo A do Grand Prix 2013.

As atuais campeãs olímpicas, que na última sexta-feir(02.08) superaram a Polônia por 3 sets a 1, estão invictas no ano. Foram 14 jogos e 14 vitórias, e os títulos dos torneios de Montreux e Alassio.

Neste domingo (03.08), as brasileiras disputarão a última partida pelo Grand Prix em Campinas (SP). O Brasil enfrentará os Estados Unidos, às 10h, com transmissão ao vivo da TV Globo e do Esporte Interativo.

A ponteira Fernanda Garay foi, mais uma vez, a maior pontuadora das brasileiras na partida, com 22 pontos (19 de ataque, dois de bloqueio e um de saque). A oposto Monique, com 16 certos, e a ponteira Gabi, com 13, também pontuaram bem. Apesar da derrota, a Rússia teve a maior pontuadora do confronto, a oposto Goncharova, com 25 pontos.

“Esperávamos um jogo difícil como esse. No primeiro set tivemos um pouco de dificuldades e erramos muito. Isso não pode acontecer. No entanto, o importante é que saímos com a vitória. Algumas meninas estão jogando pela primeira vez pela seleção adulta em casa. Essa experiência será muito importante para elas no futuro e, consequentemente, para o nosso time”, afirmou Fernanda Garay.

O treinador José Roberto Guimarães comentou a importância da equipe brasileira passar por situações de pressão em jogos como o deste sábado. “A Rússia tem uma recepção diferente dos outros times. Isso atrapalhou nossa relação com o saque. Conseguimos nos ajustar a isso no segundo set. Além disso, elas têm atacantes muito fortes, com grande potencial de ataque. Aos poucos, nos adaptamos ao time delas, conseguimos uma boa recepção e isso melhorou nosso desempenho. Quando não conseguimos quebrar o passe da Rússia, fica muito difícil jogar. Uma partida como essa é muito importante para acostumar o grupo a jogos difíceis e com pressão”, analisou o treinador brasileiro.

 

A ponteira Gabi, que foi um dos destaques do jogo, ganhou elogios do treinador brasileiro. “É a primeira vez que a Gabi jogou contra o time adulto da Rússia. O que me impressiona na Gabi é que ela não se intimida, vai na bola, tenta novamente, acredita no potencial dela e tem um discernimento tático fora do comum. Ela não está nem aí contra quem é o jogo, ela quer jogar”, disse José Roberto Guimarães, que espera mais uma partida complicada contra os Estados Unidos neste domingo.

“Amanhã, contra os Estados Unidos, será mais um jogo difícil. Elas têm um padrão tático bem definido. Já o nosso time é forte quando todo mundo é acionado. Se olhar nossa pontuação e comparar com a Rússia e a Polônia, nossos pontos são mais distribuídos. Assim conquistamos as vitórias neste ano. As americanas são mais aplicadas taticamente que os outros times, têm padrão na defesa, no posicionamento, não arriscam qualquer bola. É uma escola criada nos Estados Unidos e temos que tirar o chapéu”, garantiu o treinador do Brasil.

 

O jogo

O jogo começou equilibrado e a Rússia foi para a primeira parada técnica na frente (8/7). O set seguiu equilibrado com as duas equipes se alternando na liderança. As russas se aproveitaram de dois erros seguidos do time da casa e abriram três pontos (19/16). A ponteira Gabi conseguiu um ace e a diferença caiu para um (19/18). Numa bola de contra-ataque da oposto Sheilla, o Brasil deixou tudo igual (20/20). O final da parcial foi disputado ponto a ponto, mas as europeias foram melhores e venceram o set por 28/26.

A Rússia seguiu melhor no início do segundo set e abriu três (8/5). O Brasil passou a bloquear com mais eficiência e deixou tudo igual (11/11). O set ficou disputado ponto a ponto. Na segunda parada técnica, as brasileiras tinham um de vantagem (16/15). O Brasil errou dois ataques e as russas abriram dois (20/18). As donas da casa empataram com um ponto de bloqueio da central Juciely (20/20). Assim como no primeiro set, o final da segunda parcial foi disputado ponto a ponto, mas as brasileiras levaram a melhor dessa vez e venceram por 26/24.

O início do terceiro set seguiu a tônica da partida, ou seja, jogo equilibrado. Bem no bloqueio e no saque, as atuais campeãs olímpicas abriram seis pontos (15/09). O time verde e amarela segurou a vantagem e, numa boa atuação da central Adenízia, venceu a parcial por 25/19.

O Brasil começou bem o quarto set e fez 8/6. As duas equipes se alternavam na liderança do marcador. A Rússia foi para o segundo tempo técnico com um de vantagem (16/15). As europeias cresceram de produção na final da parcial e venceram o set por 25/22.

Com um ace da ponteira Fê Garay, o Brasil fez 2/0. Bem nos contra-ataques, as brasileiras abriram três (8/5). O time verde e amarelo segurou a vantagem e fechou o set por 15/8 e o jogo por 3 sets a 2.

Brasil – Dani Lins, Monique, Fernanda Garay, Gabi, Juciely e Adenízia. Líbero – Camila Brait. Entraram – Sheilla, Fabíola e Michelle. Técnico – José Roberto Guimarães

Rússia – Goncharova, Zarayzhko, Matienko, Chaplina, Kosheeleva e Shlyakhovaya. Líbero – Malova. Entraram – Borodakova, Pasynkova, Pankova e Malykh. Técnico – Iuriy Marichev




Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Auto Notificar:
Translate »