Search
Tuesday 1 December 2020
  • :
  • :

Em mais um show, Brasil atropela a China e garante nono título do Grand Prix

Fotos: FIVB

Precisando vencer apenas dois sets, o Brasil começou o jogo com tudo. Impondo um bom saque, a seleção brasileira colocou logo de cara uma vantagem de 7-1, dando um show no bloqueio e na defesa.

Assustada, as Chinesas sentiram a pressão e não conseguiram acertar quase nada nos primeiros pontos e logo teve que parar o jogo o treinadora Lang Ping. Mas o tempo pedido pouco efeito surtiu.

Com o passe na mão, Dani Lins pode fazer o que quis na armação dos ataques. Após um bloqueio brasileiro em que a bola caiu dentro e gerou dúvida, o computador onde a arbitragem confere a imagem do desafio deu um pequeno problema, o que deixou a técnica chinesa com cara de poucas amigas, devido a demora na consulta, que confirmou mais um ponto para o Brasil.

Com o dobro de pontos no segundo tempo técnico (16-8) e com um show no bloqueio, o Brasil seguiu passeando em quadra. Com 10 pontos de vantagem, e tirando a paciência da sempre calma Lang Ping, o Brasil fechou o primeiro set por 25-10.

Após a aula no primeiro set e precisando vencer o segundo para não deixar o time brasileira garantir o título, a China voltou mais ligada e logo de cara não permitiu ao Brasil abrir aquela grande vantagem nos primeiros pontos. Mas, a verdade é que estava impossível parar a seleção brasileira.

Eram saques que tocavam na fita e caiam na quadra chinesa, eram bloqueios que pareciam uma verdadeira muralha, eram ataques que pareciam bombardeios contra a defesa chinesa.

Com uma cara de quem comeu e não gostou, Lang Ping, ao pedir o tempo técnico com o placar de 12-9 contra, tentou pela última vez, reverter a história do campeonato. Só que o time brasileiro estava demais. Sheilla e Gabi não desperdiçavam nenhum ataque, enquanto na defesa, Fabi parecia um monstro com vários tentáculos que não deixavam nenhuma bola da China tocar o chão brasileiro.

Com 16-11 no segundo tempo técnico, restou ao Brasil apenas fazer a contagem regressiva para a confirmação do título: 9 numa bola de segunda de Dani Lins, 8 com um ace de Gabi, 7 com um bloqueio de Fabiana, 6 em um ataque de saída de Fernanda Garay, 5 numa bola chutada no meio com Thaísa, 4 em um erro de dois toques do time chinês, 3 em um ataque na rede de Yin Na, 2 em uma paralela fora de Wang e 1 com um ataque de meio de Thaísa. Brasil 25-14 e campeão do Grand Prix 2013.

Mesmo com o título, o Brasil não comemorou e seguiu encarando a partida com seriedade, em busca do 3 a 0. Só que sem ter mais a pressão de buscar o título, a China veio mais leve para o terceiro set e disposta a carimbar a faixa brasileira e fazer história, terminando o torneio invicto e sem o título.

E logo pintou os sintomas da síndrome do terceiro set (China 11-7), Zé Roberto pediu tempo e lembrou “paramos de pensar nas coisas que elas estão fazendo” e tratou de colocar o Brasil de volta no foco e buscar o empate em 12-12 e virou.

Com outra grande atuação de Sheilla nos pontos, acertando 18 bolas, e fulminante no ataque, com 45 pontos contra 30 da China, o Brasil finalizou com chave de ouro o Grand Prix 2013 fazendo 25 a 20 no terceiro set. Dani Lins recebeu o prêmio de MVP do jogo.

E no fim das contas, a China repetiu o que havia acontecido ao Brasil em 2011, quando venceu todos os jogos e perdeu justo o último e mais importante, o que valia o título. Com isso, o Brasil comemora o seu nono título no torneio e confirma o posto de maior campeão da história do torneio.

 




Subscribe
Auto Notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x