Search
Friday 25 September 2020
  • :
  • :

Fabíola e Carol Albuquerque inspiram jovens atletas dentro e fora de quadra

Carol Albuquerque e Fabíola (João Pires/Fotojump)

Juntas, elas somam 74 anos de vida. Se levar em conta apenas o tempo de quadra, são mais de 50 anos de experiência. As levantadoras Fabíola, 34 anos, e Carol Albuquerque, 40, assumem responsabilidade em dose dupla no Vôlei Nestlé. A primeira é óbvia e concreta: distribuir as jogadas entre as atacantes do time de Osasco. A segunda é tão sutil quanto vital: exercer o papel de mentoras junto às atletas mais jovens do elenco, como as opostas Paula, 25 anos, e Lorenne, 21; a central Ju Mello, 23; a levantadora Zeni, 20; e a ponteira Bruna Neri, 24.

 

Atletas olímpicas, Fabíola e Carol assumem a função de líderes dentro e fora de quadra como consequência da longevidade esportiva. Para as novatas, contudo, elas são mais que referência com a bola em jogo. São verdadeiras ‘mãezonas’. “Elas estão sempre preocupadas, sempre de olho na gente, dispostas a ajudar com qualquer coisa. É muito bom sentir esse carinho”, afirma Ju Mello, que vai disputar sua primeira temporada com o Vôlei Nestlé. Bruna Neri concorda. “A gente acaba vendo as duas como mães mesmo, pois estão sempre querendo auxiliar e passar confiança”.

 

Carol completou 40 anos no final de junho e encara essa ‘maternidade` de forma natural. “Essa relação é muito legal e, para falar a verdade, nem penso muito nisso, é algo normal. Mas sei que, pela minha experiência e tempo de vôlei, elas me olham diferente. É uma responsabilidade bacana e tento sempre ter uma boa postura, ajudar, ter paciência e me divertir, no bom sentido, com elas”, conta a campeã olímpica, que completa. “Tento colaborar com o crescimento e evolução de cada uma. Estou sempre torcendo por elas. Já fui nova e foi muito importante ter jogadoras ‘mãezonas’ na minha época”.

 

Fabíola demonstra satisfação com o reconhecimento. “Ser um exemplo para pessoas mais jovens é muito bom, pois representa que consegui vencer algumas coisas na minha vida. E confirma a necessidade de continuar lutando, porque há meninas que me veem como referência“, afirma a levantadora, sem deixar de lado uma certa severidade maternal. “Hoje é um pouco diferente da minha época, mas tentamos passar a necessidade de sempre respeitar as mais velhas, até porque somos mais experientes. Essa boa relação traz equilíbrio ao grupo que, aliás, aqui no Vôlei Nestlé é ótimo”.

 

Ju Mello atesta o valor da hierarquia. “Aprendo desde coisas na quadra até situações da vida. É muito bom ouvir o que elas contam. Já passaram pelo que as meninas na minha idade estão passando, tanto dentro quanto fora do esporte. Então, sempre vale prestar atenção ao que elas dizem”, afirma. Bruna Neri aponta para a convivência pessoal. “A relação com a Carol é muito boa. É alto astral e estou indo para a segunda temporada com ela. Com a Fabíola, é a primeira vez que estou jogando, mas está sendo super tranquilo. É uma levantadora experiente e que tem muito para oferecer pra nós atletas”.

 

Carol Albuquerque confirma a boa convivência com a nova geração. “A Minha relação com elas é muito legal, é uma troca entre experiência e juventude. Eu gosto disso, pois sempre têm novidades. E o respeito e confiança são mútuos. Aconselho a se dedicarem e aproveitar as oportunidades. De resto, dou alguma dica, um toque no dia a dia de treinos e jogos”, conta. Fabíola também tem conselhos valiosos. “Eu sempre digo que se trabalharmos muito, nos dedicarmos e respeitarmos a cada um igualmente, teremos tudo pra crescer e ser um vencedor”.

 

 

 

Já conferiu as promoções de camisas de vôlei na FutFanatics? Corre lá




Subscribe
Auto Notificar:
guest
1 Comentário
o mais novo
mais velho mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Hermes Correia

Se pra vencer é necessário que o time tenha ótimas levantadoras, o Vôlei Nestlé vai fazer muito sucesso nesta temporada, pois a distribuição do jogo estará sempre em boas mãos.!!

Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x