Search
Thursday 27 February 2020
  • :
  • :

Gattaz: “A união do nosso grupo ganhou o campeonato”

A capitã do Camponesa/Minas é a MVP do Sul-Americano. (Foto: Orlando Bento/Minas Tênis Clube)

Foi um jogo de tirar fôlego. Cheio de emoções, reclamações com a arbitragem, sustos, discussões e, no fim, o grito da torcida minastenista abalou as estruturas da Arena Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte (MG). O embate diante do fortíssimo Sesc-RJ só terminou no tie-break, com vantagem de 3 sets a 2 para a equipe mineira, que conquistou, pela terceira vez, o título do Campeonato Sul-Americano Feminino de Clubes (1999/2000 e 2018). As parciais do jogo foram: 25/23, 22/25, 25/23, 15/25 e 15/9. O público na Arena MTC foi de 2.575 torcedores.

A seleção do campeonato foi dominada pelas jogadoras da Camponesa/Minas. As melhores ponteiras foram a minastenista Pri Daroit e Drussyla, do Sesc-RJ. Juciely e Mayhara, também da equipe carioca, levaram o prêmio de melhores centrais. Macris foi a melhor levantadora, enquanto Léia, a melhor líbero. A oposto do campeonato foi Holly, do Regatas Lima, do Peru. A melhor jogadora do campeonato (MVP) foi a capitã Carol Gattaz. Na final, ela foi o nome da partida e uma das responsáveis pelo título.

A capitã minastenista disse que não conseguiu dormir e destacou que pensou no jogo a noite toda. “Não consegui dormir de ansiedade. Pensei no jogo a noite toda e no que a gente precisava fazer para vencer o Rio, que destaco sempre: é um time a ser batido! Hoje, felizmente, conseguimos fazer tudo certo e garantimos o título. Comentemos alguns errinhos, que são normais durante os jogos, mas, a união da nossa equipe, fez a diferença. Tivemos a baixa da Hooker e Mayany, nesta semana, mas conseguimos preencher as posições delas. Digo e repito: a união do nosso time, ganhou o campeonato”, comemorou a melhor jogadora do Sul-Americano Feminino de Clubes 2018.

O técnico Stefano Lavarini comemorou a vitória e também destacou a união da equipe. “O nosso time está muito unido. Se uma jogadora erra, a outra ajuda a corrigir e, assim, ganhamos o título. Estou muito feliz por ver que o time está fazendo o que a gente treina. Trabalhamos muito forte e estamos colhendo os frutos. E não acabou. Vamos voltar aos trabalhos que a Superliga continua”, destacou.




6
Deixe um comentário

avatar
3 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
AdeptaZe RobertoZÉ ROBERTOerickBOB Recent comment authors
  Subscribe  
o mais novo mais velho mais votado
Auto Notificar:
ZÉ ROBERTO
Visitante
ZÉ ROBERTO

CONVOCAÇÃO SELEÇÃO BRASILEIRA FEMININA MUNDIA 2018

CENTRAIS
1 – Thaísa (se tiver se recuperado)
2 – Adenízia
3 – Carol Gattaz
4 – Ana Beatriz (Bia).
1ª Suplente: Carol
2ª Suplente: Juciely (não está em boa fase)

LEVANTADORAS
1 – Roberta
2 – Dani Lins (se estiver em condições)
1ª Suplente: Fabíola
2ª Suplente: Macris

PONTEIRAS
1 – Fê Garay
2 – Natália
3 – Gabi
4 – Jaqueline
1ª Suplente: Drussyla
2ª Suplente: Mari Paraíba

OPOSTAS
1 – Tandara
2 – Rosamaria (vai ser deslocada para saída)
1ª Suplente: Tiffany (acho difícil ela figurar na lista final)
2ª Suplente: Monique (não está em boa fase)

LÍBEROS
1 – Léia
2 – Suellen
1ª Suplente: Tássia
2ª Suplente: Camila Brait (acho que não retornará à seleção)

Ze Roberto
Visitante
Ze Roberto

Boa relação! Só discordo quanto às levantadoras! Para mim Fabíola é a primeira opção! Experiente e muito boa de bola!

ZÉ ROBERTO
Visitante
ZÉ ROBERTO

Só que para o Zé Roberto não é… Pra ele, Dani Lins é a primeira opção e a Roberta é a segunda.

Adepta
Visitante
Adepta

Concordo! Fabiola e Dani Lins na minha opnião seriam as melhores opções. Roberta precisa de expandir mais o jogo, continua muito previsível e isso numa seleção para um mundial não dá né?

erick
Visitante
erick

Apenas um erro na matéria, Rosamaria que foi escolhida como melhor ponteira, não foi a Pri Daroit.

BOB
Visitante

Parabéns Minas por essa conquista tão merecida! Carol Gattaz merecidamente na Seleção Brasileira de 2018! Justiça seja feita!

Translate »