Search
Sunday 31 May 2020
  • :
  • :

Itajaí Vôlei apresenta equipe e fala sobre expectativas para a Superliga B

Elenco conta com atletas experientes e novos talentos. (Foto: Divulgação/Itajaí)

O torcedor itajaiense pode vibrar com gosto: tem ouro olímpico representando o município na Superliga B do Vôlei nacional. A escalação integra atletas consagradas internacionalmente com novos nomes, mas que também estão acostumadas com o pódio, trazendo a garra e o vigor da juventude para a mistura. A equipe foi apresentada nesta quarta-feira, dia 22, no auditório da Amfri, e parte para a temporada da Superliga B 2020 com o objetivo de conquistar uma vaga na elite nacional do voleibol feminino.

O principal nome é o da capitã e ponteira Wélissa de e Souza Gonzaga, a Sassá. Aos 37 anos, a atleta traz para a equipe a experiência em competições importantes. Foi ouro nos Jogos Mundiais Militares realizados neste ano na China; por cincos vezes também foi ouro no Grand Prix; tem a prata de dois Campeonatos Mundiais e de um Pan-Americano. Além de carregar no peito a marca da medalha de ouro dos Jogos Olímpicos de 2008.

Mas não é apenas Sassá que traz para a equipe um currículo capaz de animar a torcida. Como ponteiras foram escaladas Natália Danielski, campeã Juvenil e da Copa São Paulo Adulto, em 2018; Ana Beatriz Magnabosco, a Bia, campeã dos Jogos Regionais e vice-campeã dos Jogos Abertos, em 2018, no estado de São Paulo; Lohayne Endres, campeã dos Jogos Regionais e 2º lugar dos Jogos Abertos de São Paulo, em 2019; e Ilisandra Paula Klein, a Pully, que últimas quatro temporadas atuou na Hungria, Grécia, Espanha e Tailândia.

As levantadoras do Itajaí Vôlei são Maynara Rossi, que já representou os times de São Caetano e Amparo; Yasmin Fonseca, campeã do Campeonato Paulista juvenil; e Thayná Ferreira de Moraes, medalha de bronze do Campeonato Brasileiro, participante de oito temporadas da Superliga e uma Liga B. Entram em quadra como líberos: Brunna Shigueno, bicampeã mineira e vice-campeã da Copa Herbalife em Lima, no Peru; e Juliana Paes Filippelli, campeã mundial Sub-23, em 2015, à frente da Seleção Brasileira e prata na Superliga, em 2014.

As centrais escaladas para a competição são Yvea Bastos Gomes dos Santos, bronze no Campeonato Estadual Paulista Sub-21, em 2018 e tricampeã Sul-Americana em 2013, 2014 e 2016; Emanuella Fenicchia, campeã do Open de Vôlei e atleta destaque em 2014; Emanuelle dos Santos, conhecida como Manuzona, campeã da Taça Paraná em 2014 e bronze no Campeonato Paranaense em 2019; além de Leticya Franco de Souza Paulo, medalha de ouro, prata e bronze em edições do Campeonato Paulista. A escalação termina com a oposta Letícia Bonardi Cordeiro, vice-campeã no Campeonato Bósnio em 2019, bronze da Liga B em 2016 e vice-campeã da Liga B em 2015.
A equipe recebe apoio do Município de Itajaí por meio da Fundação Municipal de Esportes e Lazer (FMEL). O diretor executivo da FMEL, Paulo Rogério Maes Júnior, representou o prefeito Volnei Morastoni no evento de apresentação da equipe e revelou a expectativa de que o Itajaí Vôlei consiga alcançar o topo da Superliga B. “Itajaí sempre teve um carinho especial pelo voleibol. Com o time, que mescla novos nomes na modalidade e atletas consagradas, como Sassá, a cidade vai ser referência no naipe feminino. A equipe possui um currículo bom e, assim, já é vencedora”, declarou.

Comissão técnica experiente nas quadras dentro e fora do Brasil

Escalado para treinar a equipe, Cássio Leandro das Neves estreia no papel de técnico. Como jogador, subiu ao primeiro lugar do pódio da Liga Mundial e por cinco vezes foi campeão da Superliga Nacional. Atuou como auxiliar técnico na temporada 2018/2019 e também está com garra para desempenhar um bom papel na liderança da equipe.

No suporte técnico das atletas, Cássio conta com o reforço do preparador físico Itamar Schumacher, atleta confederado desde 1994 e campeão do Mundial Master, em Espinha (Portugal), pelo SCPR em 2019. Além da fisioterapeuta Mayane dos Santos Amorim, mestre em Fisioterapia pela Universidade Estadual de Santa Catarina (UFSC). Mayane atuou como voluntária para times da região durante a superLiga B nas temporadas de 2016/2017 e 2018/2019.

O Itajaí Vôlei é presidido por Elisângela Oliveira, medalhista olímpica pela seleção brasileira em Sidney (2000), na Austrália, e uma das maiores pontuadoras da história da Superliga nacional. Ao lado dela, como supervisora da equipe, está a voleibolista Ana Paula Lopes Ferreira, a Fofinha, com experiência em clubes nacionais e internacionais e que conquistou medalhas importantes em todas as categorias de base da seleção brasileira.

“Santa Catarina possui muitas atletas qualificadas, mas algumas optam por não ficar no estado por falta de amparo para os times. O Itajaí Vôlei vem para mudar essa realidade. Nossas jogadoras são jovens, mas estão em contato com campeãs conhecidas do povo. O voleibol feminino chega na cidade para agregar e servir como exemplo positivo, inclusive para crianças que irão se identificar com a prática esportiva”, comentou a presidente Elisângela.

Estreia no sábado, dia 25

O Itajaí Vôlei faz sua estreia na Liga B no dia 25 de janeiro contra o ACV/PMC/Chape/Uno, de Chapecó. As equipes se enfrentam em Itajaí, no Ginásio de Esportes Ivo Silveira, no bairro Fazenda, a partir das 18h30min. Até 7 de março, acontece a fase classificatória. As quartas de finais e semifinais iniciam logo em seguida e seguem até abril. A final está prevista para o dia 11 de abril, às 21h30min, com transmissão ao vivo pela SportTV.

Os ingressos para a estreia já estão à venda pelo site Sympla (bit.ly/38meEZU) ou podem ser adquiridos direto na bilheteria do Ginásio de Esportes Ivo Silveira, no Fazenda, antes da partida, às 17 horas. Os valores dos ingressos são R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada), para crianças de 6 a 12 anos, estudantes, professores e pessoas acima de 60 anos. Crianças até cinco ano não pagam.




Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Auto Notificar:
Translate »