Search
Tuesday 22 September 2020
  • :
  • :

Jogadora do Vôlei Nestlé, eleita a melhor da posição no Mundial de Clubes de 2010, revela: “É a único título que falta na minha carreira”

Crédito: FIVB/Divulgação

 

A experiente Carol Albuquerque está empolgada com a oportunidade de disputar mais um Mundial de Clubes. A jogadora foi eleita a melhor levantadora da edição de 2010, quando contribuiu para a conquista da medalha de prata para o time de Osasco. Em 2017, o Vôlei Nestlé está no Grupo B juntamente com Nec Red Rockets (Japão), Eczacibasi Istanbul (Turquia) e Volero Zurich (Suíça). Com diversos títulos no currículo, a atleta vai em busca do único que falta em sua carreira e quer aproveitar a chance. O técnico Luizomar e suas comandadas embarcam para o Japão na madrugada de quinta-feira.

 

A equipe de Osasco, na época Sollys/Nestlé, estreou com vitória por 3 a 0 diante do Federbrau, da Tailândia. Em seguida, foi superada pelo Fenerbahce, da Turquia, em sets diretos, classificando-se na segunda posição da chave. “Foi o meu primeiro Mundial de Clubes e uma experiência única. A competição foi disputada em Doha, no Qatar, local que nunca tinha ido. Era um elenco que havia conquistado a Superliga e estava motivado. Ganhei o prêmio de melhor levantadora e lembro que fui jogar o torneio vindo de lesão. Tinha sofrido uma contusão muscular no Paulista e só voltei a treinar um dia antes da viagem”, recorda Carol.

 

A levantadora resgata pela memória a grande partida diante do Bergamo, da Itália, na semifinal, e da decisão diante do Fenerbahce. “Lembro que o Bergamo era um dos favoritos e tinha grandes jogadoras como a Lo Bianco e a Piccinini, que eram da seleção italiana. Fizemos uma semifinal muito boa ganhando por um 3 a 0 que não restou dúvidas da nossa superioridade. Foi um excelente resultado e fomos motivadas para a final. Na decisão encaramos uma seleção mundial. O nosso time era muito bom, mas do outro lado estavam as melhores em suas posições. Perdemos para a melhor equipe do mundo”, afirma a jogadora.

 

Em outro momento da carreira, Carol espera ajudar e desfrutar da chance de disputar mais um Mundial. “Não teremos jogo fácil. Agora estou em outra fase. Vou para compor o grupo e contribuir no que for possível, principalmente ajudando as mais novas. Estou feliz em voltar a disputar o Mundial de Clubes e teremos os melhores times do mundo reunidos. Esse ano o campeonato estará ainda mais disputado. O título de campeã mundial é a único que falta na minha carreira. Quero aproveitar a oportunidade, já que não sei quando poderei jogar novamente”, assegura a levantadora.

 

Tabela do Mundial de Clubes

Primeira fase – Grupo B:
09/05 – 3h30 – Vôlei Nestlé x Nec Red Rockets (Japão)
09/05 – 22h00 – Vôlei Nestlé x Eczacibasi Istanbul (Turquia)
12/05 – 0h00 – Vôlei Nestlé x Volero Zurich (Suíça)




Subscribe
Auto Notificar:
guest
3 Comentários
o mais novo
mais velho mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Enqui

Levando em consideração que o time do Eczasibasi está vindo de uma temporada surrada, se o time de Osasco for disciplinado taticamente talvez consiga brigar de igual pra igual. Mas de qualquer jeito acho que Nestle tá correndo por fora nessa chave

Rosinha

Alguém sabe se os jogos do Osasco e do Rexona serão transmitidos no Sportv ou pela Internet::)

Abelem

Youtube, canal da FIVB.

Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x