Search
Saturday 19 September 2020
  • :
  • :

Manu deixa comando do BMG/Montes Claros

 10/11/11 – Na vice-liderança do Campeonato Mineiro, a equipe do BMG/Montes Claros sofreu uma dura perda na tarde desta quarta-feira. O técnico Manu Arnaut não é mais o comandante da equipe. Os motivos alegados pelo desligamento são de cunho pessoal. Com Manu a frente da equipe, o BMG/Montes Claros foi vice-campeão da Copa Volta Redonda, chegando a vencer até mesmo o estrelado RJX.

No estadual o Pequi Atômico está em segundo lugar, atrás somente do Sada Cruzeiro que é Vice-Campeão da Superliga 2010/2011 e que permaneceu com a mesma equipe da temporada passada, apenas reforçado em algumas peças para a nova temporada. Já o Montes Claros que refez quase todo seu elenco ainda antes da chegada de Manu, atuou em seis amistosos antes da competição e é um dos favoritos ao título do Mineiro com 15 pontos em 7 jogos, 5 vitórias e apenas 2 derrotas.

"O Manu é um técnico diferenciado, estudioso e calculista. É lamentável a saída dele do comando do Montes Claros", comentou a empresária do técnico Andressa Caetano. "Os jogadores ainda tentaram conversar com ele no fim da tarde desta quarta, saíram do treino e foram até seu flat convencê-lo a ficar, mas ele estava irredutível, assim como quando falei com ele. Mas ele está tranquilo, quer resolver os problemas particulares logo para voltar a fazer o que mais gosta que é treinar", completou Andressa com exclusividade ao Melhor do Vôlei.

Sobre Manu

Emmanuel Haele Arnaut foi assistente técnico SKY /Pinheiros, do ULBRA/Suzano Up Time; técnico do Bargas Atalia, em Toledo, na Espanha; técnico TEUTO AABB Goiânia e assistente técnico do SADA Betim.

"); // -->

 

Depois de surgir para o voleibol como auxiliar-técnico de Chico dos Santos no MRV/Minas na década de 90, Manu passou pelo Fluminense e pelo Macaé. De volta ao Minas, em 2004, novamente como assistente de Chico, o mineiro assumiu o comando da equipe com a missão de dar chance a novos talentos.

Logo em seu primeiro ano de trabalho, Manu promoveu ao time titular jogadoras recém-saídas das categorias de base, como Joycinha e Joyce Victalino, além de algumas juvenis, como Ana Tiemi, Fernanda Garay e Thaísa. Defendendo a cidade de São Bernardo, o Minas conquistou os Jogos Abertos do Interior e o vice-campeonato paulista. Levou também a medalha de bronze da Salonpas Cup – deixando para trás o Havana Club, de Cuba (que contava com Rosír Calderón, Nancy Carrillo e Daimi Ramírez, dentre outras) e o UCS Münster, da Alemanha, que tinha em seu elenco as atuais campeãs do Grand Prix Alice Blom, Janneke Van Tienen e Caroline Wensink. Na Superliga, levou o time às semifinais, ficando na frente de times com maior orçamento, como Pinheiros e Brasil Telecom.

Na temporada seguinte, o técnico conquistou o Campeonato Mineiro, mas não conseguiu repetir os bons resultados de 2005. Sem algumas jogadoras importantes no elenco, como Verê, Paula Barros, Soninha e Joyce, o Minas não fez uma boa primeira fase na Superliga. A diretoria do clube mineiro optou em demitir o técnico, mas de pouco adiantou: a equipe não passou das quartas-de-final.

Em Betim, Manu voltou a trabalhar no voleibol masculino, repetindo a experiência vivida no Palmeiras, na temporada 2002/2003. Comandado por Elvis Contreras, o time mineiro chegou às quartas-de-final da Superliga, perdendo apenas para a forte e tradicional equipe da Ulbra, de Canoas (RS).

 

 

 




Subscribe
Auto Notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x