Search
Wednesday 23 September 2020
  • :
  • :

Marcos Kwiek fala sobre a preparação da República Dominicana e suas expectativas para o Mundial da Itália

Divulgação/FIVB

Na última edição do Mundial, realizado em 2010, no Japão, a República Dominicana, comandada pelo técnico brasileiro Marcos Kwiek, terminou a competição no décimo sétimo lugar. Porém, nesses últimos anos as dominicanas tem se destacado e conquistado resultados marcantes no cenário internacional.

Focado no Mundial, Marquinhos relatou os passos de sua equipe para chegar na melhor forma à Itália. “Estamos recuperando as jogadoras que estavam debilitadas, devido a uma virose, prejudicando um pouco o estado físico e técnico delas. Chegamos a Maribor, na Eslovênia, no dia nove de setembro e realizamos a última fase de preparação para o Mundial em um centro de treinamento muito bom. Saímos no dia 21, direto para Roma. Esperamos chegar em condições razoáveis ao Mundial e ir crescendo durante a competição, pois é um torneio bem longo e desgastante, onde a preparação física será fundamental”.

No Mundial deste ano, as dominicanas fazem parte do Grupo A, ao lado de Itália, Alemanha, Croácia, Argentina e Tunísia, lembrando que somente os quatro primeiros colocados do grupo se classificam para etapa posterior. De olho em seus primeiros adversários, Kwiek fez uma breve análise sobre o que deve enfrentar nos desafios iniciais. “Nosso grupo está bem equilibrado, mesmo não sendo o grupo mais forte do Mundial. Temos a Itália, dona da casa, que é um time muito experiente, além de ganhar muito com a inclusão de Lo Bianco e Carolina Costagrande. A Alemanha é sempre um grande rival nosso em todas as competições, tendo um time que já joga junto há alguns anos, com um conjunto muito lutador. A Croácia possui jogadoras experientes e forma um time estilo europeu, de muita força. A Argentina vem crescendo bastante, com algumas participações em Grand Prix. Sobre a Tunísia ainda não temos muitas informações”.

Para finalizar, o técnico ainda declarou suas ambições na competição, além de deixar um recado aos dominicanos. “Nossas expectativas são ambiciosas. Queremos lutar muito a cada jogo e brigar pela classificação para a segunda fase. Depois disso, vamos pensando a cada jogo. Nossa ideia é jogar cada partida como se fosse uma final de campeonato. Eu gostaria muito de dizer ao povo dominicano que vamos para este Mundial buscar uma medalha para levar ao país, mas não posso prometer isso. A única coisa que posso garantir é muita luta, dedicação e total entrega a cada duelo. Somos um time de trabalhadores, não temos muitos recursos, por isso lutamos a todo tempo, porque sabemos de nossas limitações e sonhamos sempre em ser grandes. Cada passo pra frente que damos é fruto de muito trabalho e muito suor, sacrifício mesmo, por isso valorizamos o que conquistamos e sempre buscamos mais. Nem sempre as coisas acontecem como pensamos, mas nunca por falta de empenho ou de entrega, isso é o mais importante”, concluiu Marcos Kwiek.




Subscribe
Auto Notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x