Search
Monday 26 October 2020
  • :
  • :

Maria Elisa e Carol Solberg ficam com a medalha de prata na etapa da Holanda

Foto: FIVB

O Brasil ficou com a medalha de prata na primeira etapa do Circuito Mundial de vôlei de praia 2018, em Haia, na Holanda. Maria Elisa e Carolina Solberg (RJ) terminaram com o vice-campeonato ao serem superadas pelas norte-americanas Alix Klineman e April Ross por 2 sets a 0 (21/12, 21/15), em 33 minutos, na manhã deste domingo (07.01).

A prata rende para Maria Elisa e Carol Solberg 720 pontos no ranking do Circuito Mundial, além de um prêmio de cerca de R$ 50 mil. É a segunda medalha em etapas internacionais da parceria que foi formada no meio da temporada passada. A outra medalha também havia sido conquistada em Haia, com o ouro em junho de 2017.

A etapa foi de superação para a dupla, que começou no classificatório e teve que encarar duas partidas a mais do que a maioria das suas adversárias. Além disso, Maria Elisa se casou em dezembro e precisou treinar e manter a forma mesmo durante a lua de mel. Ela brincou com o fato no último sábado, após a vitória na semifinal.

O torneio em Haia foi disputado em um ginásio coberto e climatizado, iniciando a temporada em janeiro pela primeira vez na história.A temperatura na cidade ao longo da semana ficou próxima de 5ºC. A mesma arena já recebeu etapas da Liga Mundial de voleibol indoor e edições da Copa Davis, de tênis.

As norte-americanas, que disputaram em Haia o primeiro evento juntas, começaram fortes, impondo ritmo e abriram boa vantagem no começo do primeiro set. Os bons saques de April dificultaram a armação das jogadas das brasileiras. No segundo set, a partida começou mais equilibrada, mas o time dos EUA conseguiu deslanchar  na reta final do set para vencer.

Apesar da derrota neste domingo, em nove torneios disputados em Haia, todos com torneio nos dois naipes, o Brasil segue como maior vencedor com dez medalhas de ouro (três no masculino e sete no feminino).

O Brasil é o atual campeão do Circuito Mundial em ambos os naipes, com Larissa/Talita (PA/AL) e Evandro/André Stein (RJ/ES). Após a etapa de Haia, a segunda parada ocorre em Shepparton, na Austrália, em um torneio de uma estrela disputado de 1 a 4 de fevereiro, mas que não contará com duplas brasileiras.

 

 

Quer aproveitar as promoções da Futfanatics? Corre lá que os preços estão incríveis!




Subscribe
Auto Notificar:
guest
6 Comentários
o mais novo
mais velho mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Joana

Por favor, quando for discordar, pelo menos tenha a capacidade de expor motivo. Fica mais bonito e sensato. Coragem e Kisses!

Hooker Go Mundial 2018

kkkkkkkk – Go USA com Klineman mostrando técnica e humilhando!!!

Joana

Essa dupla brasileira é um retrocesso ao vôlei de praia. Jogadoras velhas. Temos que apoiar a Duda e uma novata grandona que esqueci o nome agora. Viva ALIX!

Renato

Digo mais, as duplas brasileiras femininas são um lixo, cheia de jogadoras prepotentes…enquanto há formidáveis atletas lá fora sendo reveladas, se reinventado como a própria Ross, que apesar de já mais velha, está ai sempre figurando nos pódios, e como a excepcional Laura Ludwig, sempre determinada e tão respeitosa com os adversários! No masculino o Brasil ainda possui boas duplas com um bom nível técnico pra se sustentar entre os principais, porém no feminino, está meio que ladeira abaixo!

INXA....LÁ

Assino embaixo Renato! São prepotentes sim. Fico P da vida quando passa volei de praia e a torcida em vez de incentivar as novatas, ficam só puxando a sardinha para as mascaradas veteranas que já estão de ladeira a baixo……

Talles

Essa dupla norte-americana ainda vai dar o que falar! Alex é muito habilidosa e na praia, onde os recursos, além da força, são mais exigidos ainda, pode ser o terreno perfeito para ela! Jogando ao lado de Ross, com experiencia de sobra, tem tudo pra perturbar os demais adversários a partir de agora!

Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x