Search
Tuesday 22 September 2020
  • :
  • :

Molico Osasco vence Unilever e alcança recorde de vitórias na Superliga

Foto: João Pires/FotoJump/Divulgação

Nem parecia que era clássico. Com muita superioridade, o Molico Osasco derrotou a Unilever no Maracanãzinho por 3 a 0 e confirmou a invencibilidade na primeira fase da Superliga, parciais de 24-22, 21-11 e 21-19.

A grande surpresa do jogo foi Fabi. No treino da manhã ela sentiu uma fisgada e acabou substituída por Valeskinha. “Decidimos que não valia a pena arriscar uma contusão mais grave, mesmo sendo um clássico. A decisão foi bem acertada e não preocupa para os playoffs”, disse Fabi antes do jogo ao Sportv.

Logo de cara, o time de Osasco mostrou porque está invicto. Abriu três pontos (6-3) e passou a mandar no jogo.  Com um erro de recepção de Mihajlovic, o Molico abriu 10-5 e Bernardinho pediu tempo para cobrar atenção do time no saque do adversário.

Na volta, o time da Unilever reagiu. Acertou o saque e contou com dois erros da arbitragem para voltar à diferença para três pontos, obrigando Luizomar a pedir tempo.

Na volta, Carol fez um ace e o técnico de Osasco tirou Sheilla e Fabíola para colocar Lia e Ana Maria. A mudança não funcionou. Luizomar teve que desfazer a mudança e com uma sequencia de bloqueios de Juciely, a Unilever empatou em 12 a 12 e virou em seguida numa recepção ruim de Caterina. No total, foram 8 pontos seguidos. De 6-12, a Unilever colocou 14-12 no segundo tempo.

Com 15-13, Fofão entrou no lugar de Roberta, na inversão e em uma estratégia de dar ritmo para a jogadora, que ficou muito tempo sem jogar por lesão.

Pelo lado do Osasco, quem entrou foi Gabi e nas duas primeiras bolas que recebeu, rodou. Quem errou feio foi Adenízia, que numa bola de xeque, acertou a rede.

No final, a equipe da Unilever encontrou resistência para fechar e após desperdição dois set points, viu o Molico empatar.

Um bloqueio de Sheilla fez o time ficar com o set point pela primeira vez no 23° ponto e num erro de ataque de Gabi, as paulistas levaram o set por 24-22.

No segundo set, quem começou abrindo três pontos desta vez foi a Unilever, fazendo 5-2. Uma sucessão de erros e bolas confusas (toque no cabelo da Thaísa, finta na rede de Fabíola, entre outras) marcaram o início do set. Logo, o Osasco empatou em 5-5 com cinco pontos de graça dados pela Unilever.

Com dificuldades na recepção, já que a líbero Valeskinha estava improvisada, Roberta tinha dificuldades de distribuir e assim a Unilever não rodava bem. O primeiro tempo teve a parcial de 7-6 para Osasco.

Com Bernardinho se irritando a cada erro de seu time, o Molico abriu 12-8. Ele pediu tempo, cobrou e não resolveu: 14-8 no segundo tempo.

Com o saque certinho no segundo set, diferente do primeiro, Molico Osasco seguiu fazendo a diferença. Rapidamente a vantagem subiu para nove pontos (18-9).

Bernardinho tentou ainda mudar o jogo colocando Fofão novamente na inversão. O curiosos foi o comentário de Marco Freitas, que disse “ser arriscado colocar ela”, pois por ela voltar de lesão na panturrilha, ela poderia se machucar novamente tendo que correr pela quadra atrás dos passes ruins que a Unilever executava. Em bloqueio de Thaísa, o Molico Osasco fechou o set em 21-11.

Após dominar o set anterior, o Molico começou repetindo a dose no terceiro set e abriu três pontos no começo, mas manteve só dois no primeiro tempo: 7-5.

Com Natasha e Régis em quadra, a Unilever deu uma melhorada na recepção e contando com erros do Osasco, foi buscar o empate no set. Desatenta, a defesa paulista permitia que bolas bobas caíssem, como uma largadinha de toque de Gabi, no 10-10.

Após o empate, a partida equilibrou, mas “por baixo”. Os dois times começaram a encontrar dificuldades em alguns lances e o ponto a ponto foi se estendendo até o segundo tempo, quando a Unilever, em ace de Roberta, passou na frente (14-13).

Para tentar crescer na parte final, Luizomar fez novamente a inversão, mas com o time carioca mais estabilizado no passe, o efeito não foi o desejado.

Bernardinho também fez a inversão quando a partida estava em 17-17 e o resultado foi o mesmo. Num tempo pedido com 19-18 contra, Juciely e Bernardinho se desentenderam em uma orientação. A central desabafou e chorou, criando um mal estar no pedido.

Sentindo a tensão, a Unilever não conseguiu buscar a última força para reagir no final e viu Sheilla em diagonal fechar o jogo em 21-19.

Gabi foi a melhor jogadora em quadra da 26ª vitória do time na competição. Com o resultado, o Molico Osasco terminou invicto e igualou o recorde de vitórias absolutas do torneio, conseguida pelo Leites Nestlé.

Com os resultados, o Molico Osasco vai enfrentar o Brasília Vôlei nas quartas-de-final. Já a Unilever, terceira colocada, vai enfrentar o Pinheiros.

 




Subscribe
Auto Notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x