Search
Saturday 24 October 2020
  • :
  • :

Na Copa do Mundo, a China é tetra

Crédito: Divulgação/FIVB

Crédito: Divulgação/FIVB

As Olimpíadas de 2012 foram o marco derradeiro de um ciclo de maus resultados do vôlei feminino da China. Décimo lugar no mundial de 2010, nenhuma medalha no Grand desde 2007, um terceiro lugar na Copa do Mundo de 2011 e, em Londres, eliminação nas quartas de final para o Japão e classificação inferior, inclusive, à da Coreia do Sul. O novo ciclo olímpico trouxe um time chinês renovado, um novo comando técnico e com resultados que mostram que as escolhas foram corretas.

 

Primeiro, um vice-campeonato do Grand Prix de 2013, com apenas uma derrota em toda a competição, depois o vice-campeonato mundial na Itália e, neste domingo, o título da Copa do Mundo. O primeiro título em nível intercontinental da China desde o ouro em Atenas-2004. O quarto troféu da competição que vai para Pequim, que se junta ao de 1981, 1985 e 2003.

 

Lógico que a Copa do Mundo, principalmente, depois da exclusão do Brasil, ganhou caráter mais pré-olímpico do que de competição em si mesma. Mas seria impensável que a China, mesmo disputando um hipotético pré-olímpico no ano que vem, ficasse fora das Olimpíadas. Assim, se confirmar a passagem para o Rio de Janeiro foi importante, o tetracampeonato da copa foi ainda mais.

 

Com as vitorias da Sérvia e dos EUA na madrugada, as chinesas sabiam que precisavam vencer o Japão para conquistarem a taça e carimbarem o passaporte. E foi o que fizeram. Venceram por 3 sets a 1 (25-17, 22-25, 25-21, 25-22) e ficaram com as melhores fatias do bolo.

 

“No meio do jogo, tivemos um momento difícil. Mas nós nos tornamos um e fomos capazes de agarrar a vitória”, lembrou a ponteira Ting Zhu, anotadora de 27 pontos contra as japonesas.

 

Além de maior pontuadora da partida, Ting Zhu também foi premiada como MVP da competição, honraria que, na conquista chinesa da Copa do Mundo de 1985, coube a sua treinadora, Lang Ping.

 

“Quando eu assumi (o comando do time), disse a todas elas que tinham de entender o nível mundial do vôlei. Instruí as atletas sobre como jogar contra esse nível e trouxe novas jogadoras”, explicou Lang Ping, que reassumiu o comando técnico da seleção depois de Londres.

 

O ataque e o bloqueio chineses se destacaram no jogo final, principalmente o bloqueio. Pois se o ataque marcou 60 pontos contra 54 das japonesas, a muralha chinesa, com quatro pontos de Zhu e três de Chunlei Zeng, assinalou 11 pontos a 3.

 

A Sérvia ficou com vice-campeonato e a segunda vaga para os Jogos do Rio de Janeiro. O bronze ficou com os EUA.

 

Veja as jogadoras premiadas individualmente na Copa do Mundo. Das oito, apenas três estavam no pódio do torneio – Zhu, Mihajlovic e Dixon – e três são de seleções caribenhas – Castillo, Marte e Lescay.

 

Levantadora: Niverka Marte (Rep. Dominicana)
Oposta: Nataliya Goncharova (Rússia)
Ponteiras: Brankica Mihajlovic (Sérvia) e Tatiana Kosheleva (Rússia)
Centrais: Daymara Lescay (Cuba) e Tetori Dixon (EUA)
Líbero:
Brenda Castillo (Rep. Dominicana)
MVP: Ting Zhu (China)




Subscribe
Auto Notificar:
guest
5 Comentários
o mais novo
mais velho mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Maria Nazareth da Silva

Quanto será que os dirigentes da CBV ganharam de propina para concordar em ficar fora do mundial? Não tem essa de que foi a FIV, por que o Japão e EUA não concordaram e PONTO…é um direito de participar !!! . Se for campeão, que sejam classificados o 2º. e 3º. lugares.Difícil, não !!! Um é Mundial e o outro é Olimpíada !!!! Não é necessário dizer que são campeonatos diferentes….

muciolo

A não classificação dos Estados Unidos e da Rússia para as Olimpíadas, é prova inconteste que essas seleções não são imbatíveis. É só as brasileiras ão amarelarem diante delas e o tri será nosso. China e sérvia é que devem ser observadas pelo Zé Roberto.

Marco Antonio

Concordo contigo ALINE. Além de mesclar juventude e experiência, a técnica Lang Ping (uma das melhores do mundo), buscou experiência fora e como ela disse, trabalhou muito a cabeça (emocional) das jogadoras, além de lançar para o mundo excepcionais jogadoras.

China está de parabéns.Os outros que corram atrás.

Godina

A China realmente conta com muita sorte, pois nos cruzamentos com grandes equipes sempre toma na cabeça, no mundial de 2014 teve a sorte de não cruzar com os EUA e foi vice, nas olimpiadas de 1996 não cruzou com Cuba e foi vice. Todos sabemos da dificuldade enorme da Russia com equipes asiáticas, e nesta copa do Mundo com a Sérvia não fosse a estreia seria outro resultado, bom na estória vai ficar a China a grande campeã deste campeonato, quero ver com cruzamento olímpico se vai fugir.

ALINE

Sorte??? A COPA DO MUNDO é o torneio MAIS DIFÍCIL do vôlei mundial porque são TODOS CONTRA TODOS, não há como escolher adversário, não tem como fugir de ninguém! Ninguém ganha uma COPA DO MUNDO POR SORTE! A CHINA fez por merecer e independente de ser brasileira aplaudo as chinesas! Godina, não tem como ser TETRA-CAMPEÃ da COPA DO MUNDO na base da sorte. A CHINA é TETRA e tem que ser muito respeitada por isso. Nenhuma seleção do MUNDO chega perto desse grande feito da CHINA a não ser a grande GERAÇÃO CUBANA de REGLA BELL que também foi… Ler mais »

Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x