Search
Wednesday 21 October 2020
  • :
  • :

Na força do saque, o Brasil venceu a Sérvia

Crédito: Divulgação/FiVB

Crédito: Divulgação/FiVB

 

Para quem diz que “Brasil vs Sérvia sem tie break não é Brasil vs Sérvia”, o fim de semana da Liga Mundial um prato cheio. Ou melhor, dois pratos, um para a refeição de cada freguês. Se a Seleção Brasileira perdeu a invencibilidade na sexta-feira tomando uma virada, neste domingo, o time se vingou da Sérvia, também na moeda de cinco sets. As parciais da partida, que durou 2h34, foram 25-23, 20-25, 25-21, 22-25, 15-13. Lucarelli, com 24 pontos, foi maior anotador do encontro. Os próximos jogos do Brasil são contra a Itália, em Roma e Florença, na sexta-feira e no domingo, respectivamente, da Sérvia, contra a Austrália, quinta-feira em Novi Sad, sábado em Belgrado.

 

Se no ano passado o técnico Bernardinho estava preocupado com a eficiência do saque da Seleção Brasileira, hoje, em Belgrado, a preocupação foi toda do time rival. Foram 15 aces assinalados pelo Brasil contra quatro da Sérvia. Todos os titulares da Seleção Brasileira pontuaram no saque pelo menos uma vez, sendo Leandro Vissotto o melhor sacador da partida, com cinco pontos diretos – dois deles, pelo menos, sacando flutuante contra o líbero Neven Majstorovic. Isac conseguiu quatro aces, Lucarelli e Riad, dois cada um, e William e Lipe, um.

 

O contraponto da partida foi a tônica dos confrontos desse fim de semana. O Brasil cometeu um número alto de erros e pontuou pouco no bloqueio – na sexta-feira, foram 36 erros cometidos pelo Brasil e um ponto de bloqueio, e, no domingo, 37 erros e cinco pontos de bloqueio (contra nove da Sérvia). Somados os dois jogos, os centrais brasileiros só bloquearam para ponto duas vezes – Riad e Isac, ambos hoje.

 

Durante o primeiro set, neste domingo, a parcial seguiu equilibrada até o 19 a 19, quando, então, a Sérvia, em bom jogo de Atanasijevic e Ivovic, abriu três pontos de vantagem. Mas, numa passagem de saque de Riad, com direito a dois aces, o Brasil fez cinco pontos seguidos e fechou em 25 a 23.

 

A receita do saque eficiente só foi seguida pelo time da casa no início do segundo set. Graças a uma boa passagem do central Podrascanin, a Sérvia abriu 9 a 2 e não perdeu a dianteira da parcial em momento algum. Já no set seguinte, o Brasil aproveitou os erros da Sérvia (10 erros a 4) e reassumiu o comando do marcador com tranquilidade.

 

Para o quarto set, o técnico Rubinho tirou Serginho e colocou Tiago Brendle. Ocorre que, neste set, apesar de Brendle não ter comprometido (pelas estatísticas da FIVB, ele só recebeu nove saques), o passe brasileiro deixou William com poucas opções e o time cometeu inacreditáveis 11 erros.

 

No tie break, a Sérvia comandou o marcador a maior parte do tempo. A vantagem máxima que conseguia abrir era de dois pontos e, nisso, chegou a 11 a 9. Aí um ace de Vissotto, outro de Lucarelli e um bloqueio de Riad na sequência de uma defesa de Tiago Brendle fizeram a diferença para time verde-amarelo, que fechou a partida num ataque de Riad, explorando o bloqueio adversário.




Subscribe
Auto Notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x