Search
Tuesday 19 January 2021
  • :
  • :

No tie-break, Fluminense vence Pinheiros e sobe para a quinta colocação

Esta foi a sexta vitória do Fluminense em 10 jogos. (Foto: Divulgação)

Por Júnior Barbosa

Em um confronto com duas equipes em campanhas praticamente idênticas, o resultado foi o esperado. Após muito equilíbrio e alternâncias no placar, o Pinheiros foi superado, jogando em casa, pelo Fluminense por 3 sets a 2 (22/25, 25/21, 24/26, 25/15 e 8/15). A partida foi válida pela décima temporada da Superliga 2017/2018 e aconteceu na noite desta quinta-feira (30). O troféu VivaVôlei foi entregue para a ponteira Thaisinha. A maior pontuadora foi a oposto tricolor Renata Colombo, com 21 acertos.

Com grandes defesas e muito volume de jogo, a líbero Sassá também foi destaque, principalmente após ficar fora do segundo set por ter passado mal, mas conseguiu voltar nas parciais seguintes. Já a ponteira Michelle Pavão também pontuou bastante (19), e Thaisinha fez 18. Novamente, a central Letícia Hage se destacou no bloqueio, com 8 pontos no fundamento e mais 5 em ataques.

Pelo Pinheiros,  Bruna Honório marcou 20 pontos. Mari Cassemiro e Roberta, com 13 pontos cada, vieram na sequência. Já a central Milka terminou o jogo com 11 acertos.

O Flu assumiu provisoriamente a quinta colocação, com 16 pontos. Já o Pinheiros está em sétimo, com 15. No dia 8, o Pinheiros vai até Brasília na última rodada do primeiro turno. No dia seguinte, o Fluminense recebe o Sesi-SP, em casa.

O jogo

No primeiro set, o equilíbrio marcou os primeiros pontos, mas Thaisinha apareceu com potentes ataques, obrigando o técnico Paulo de Tarso a pedir tempo (8 a 12). O Pinheiros começou a reagir, mas a diferença no placar seguiu com a oposto Renatinha bloqueando e atacando (11 a 15). A central Letícia Hage e veio um novo pedido de tempo do Pinheiros (11 a 16). Com erros, a diferença caiu e foi a vez do técnico Hylmer Dias parar (14 a 16). Ivna, que entrou em inversão com Diana, pontuou na primeira bola recebida (16 a 18), mas Michelle Pavão no ataque e Lara bloqueando Ivana, veio o 16 a 20. Ivana voltou a pontuar e Thaisinha errou uma ataque (18 a 20). Pamela, que veio na inversão do Flu com Rafaela, atacou e, depois, outro ponto de Thaisinha (18 a 22). Com inversão desfeita, Bruna Honório pontuou em momentos decisivos (21 a 23), mas Rentinha fechou em 22 a 25.

A segunda parcial começou com pequena vantagem do Pinheiros (5 a 3), mas logo veio o empate e novas trocas de ponto. Com Milka, o Pinheiros fez 11 a 10 e, depois, 14 a 11 com um bloqueio e pedido de tempo no Fluminense. Em uma jogada pipe com Bruna, a diferença seguiu (16 a 12). Novo pedido de tempo veio quando a diferença aumentou (18 a 12) com Mari Cassemiro no saque e Roberta no bloqueio. As tricolores tentaram se reencontrar no jogo (21 a 16) e Renatinha atacou potentes bolas (23 a 19). A central Larissa, que entrou para sacar, colocou de vez o Flu na briga pelo set (23 a 21), mas o set point veio com Mari Cassemiro e o set se encerrou com um ataque de Renatinha na antena. (25 a 21).

Na terceira parcial, mais equilíbrio, mas com alguns erros para os dois lados. O 11 a 10 veio com mais um ataque de Milka, mas Letícia não deixava as paulistas se distanciarem do placar. Sassá, de volta à quadra, foi a responsável por grande volume de jogo das cariocas. Roberta seguiu muito eficiente (14 a 13). Já próximo da reta final, o Pinheiros chegou a abrir 18 a 16 e o Flu parou. Novamente com a Roberta, a virada ficou mais perto (21 a 18), mas o Tricolor não se entregou (21 a 20) e foi a vez do Pinheiros parar. A capitã Vanessa Janke fez o Pinheiros chegar aos 23 pontos e Milka bloqueou a oposto Pamela e veio o set point. Só que a decisão apertou (24 a 23). Hage, novamente, bloqueou e empatou a partida (24 a 24) e foi com dois ataques de Thaisinha que o Flu fechou (24 a 26).

Diferente dos sets anteriores, o Fluminense começou com leve vantagem pelas mãos de Letícia Hage (2 a 3), mas a oposto Bruna seguiu virando bolas. Com 3 a 6, Paulo de Tarso parou o jogo para tentar arrumar o time. A parada surtiu efeito e o empate veio (7 a 7) e Roberta bloqueou Thaisinha, com pedido de tempo do Flu e o jogo empatou (10 a 10), mas Vanessa pontuou novamente. Bruna continuou muito efetiva, Depois, um ataque de Lara causou polêmica. Inconformado, o técnico Hylmer levou um cartão vermelho por ter exagerado na reclamação e o Pinheiros fez 17 a 13 e, depois, 19 a 13 por erros das cariocas. Nitidamente, abaladas, o Flu viu o Pinheiros fazer 21 a 13.  O tie-break veio pelas mãos de Vanessa Janke e de um ataque para fora de Thaisinha (25 a 15).

O primeiro ponto do set decisivo foi de Renatinha, mas veio um novo 4 a 4. Com 2 pontos de Lara, o Pinheiros solicitou tempo (5 a 7). Numa dividida de bola na rede entre Bruninha e Michelle, melhor para a carioca (5 a 8). Um novo pedido de tempo do Pinheiros veio porque o Flu manteve vantagem (7 a 10). Paulo de Tarso apostou na volta de Diana e Lays, mas o ataque paulista parou de virar bolas e o Flu abriu mais (8 a 14) e Michelle Pavão fechou (8 a 15).

 

 

Quer aproveitar as promoções da Futfanatics? Corre lá que os preços estão incríveis!




Subscribe
Auto Notificar:
guest
6 Comentários
o mais novo
mais velho mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Ramela

Nojinho desse Fluminense e aquela quadra caindo aos pedaços.

Willian Lopes

O time do Pinheiros é muito dependente da Bruna. Gosto da Mari embora oscila d+. Fluminense está com um time certinho. Thaís e Renata segurando no ataque e Sassá e Michele no fundo de quadra. Giovanna boa levantadora.

Paulo

E as centrais bloqueiam muito bem.

Mario Teodoro

A impressao que me da eh que o tecnico do fluminense eh um
excelente treinador, ou seja a beira da quadra durante os jogos nao
vi ele fazer nada de excepcional, mas eh nitido a evolucao ao longo do torneio de varias jogadoras suas (ateh a thaisinha nao esta tao ruim assim no passe). Acredito que nos treinamentos antes das partidas ele deve fazer um trabalho muito bom com as jogadoras.
Os moradores do rio de janeiro que acompanham o trabalho dele nos treinamentos bem que poderiam nos confirmar isto.

TITANIC 100 ANOS

…se a thaysinha tivesse uns 20cm a mais e a Fernanda Tome mais potencia nos seus ataques estariamos bem servidos de ponteiras passadoras na seleção brasileira durante os próximos 10 anos…

Julio Santiago

Se Thaysinha (1,74cm) tivesse uns 20 cm a mais não pularia tanto, né? difícil ver uma jogadora alta (1,94 cm) tão ágil. Melhor seria dar 10 cm (1,84cm). Já Miréia de Cuba (1,75 cm) pulava muito, foi sem dúvida a melhor ponteira de todos os tempos.

Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x