Search
Friday 30 October 2020
  • :
  • :

Rexona-AdeS busca vitória ‘com o coração’ contra o Camponesa/Minas

Crédito: Marcio Rodrigues/MPIX

Crédito: Marcio Rodrigues/MPIX

 

Com 10 finais de Superliga seguidas no currículo, o Rexona-AdeS sabe bem o que faz a diferença nos confrontos decisivos, como o que terá pela frente neste sábado (04/04), às 21h30, diante do Camponesa/Minas, na Arena Minas. Comissão técnica e jogadoras da equipe carioca não têm nenhuma surpresa para apresentar em quadra, mas apostam ‘no coração’ para sair de Belo Horizonte com uma importante vantagem na semifinal da competição.

 

Comandante da equipe, Bernardinho sabe que os resultados passados foram fruto de muito trabalho. No entanto, eles não garantem nenhuma vantagem, ainda mais diante de uma equipe experiente como o Camponesa/Minas. Sendo assim, o treinador manteve o padrão de escolher jogar a primeira partida da melhor de três dos playoffs da Superliga fora de casa.

 

“É uma preferência nossa. Escolhemos jogar a primeira partida fora, pois podemos, caso tenhamos uma derrota, fazer dois jogos diante de nossa torcida, no Rio. Nosso adversário passa a ter a responsabilidade de abrir a série com um bom resultado, em casa. Mas acho que isso não fará tanta diferença contra o Minas. É uma equipe experiente, conta com jogadoras experientes como a Jaqueline, a Walewska e provou isso nas quartas de final, quando decidiu a série com vitórias fora de casa”, analisou o treinador.

 

E se não terão nenhuma surpresa para apresentar nem vantagem, as jogadoras do Rexona-AdeS acreditam que um triunfo virá da motivação e do emocional. “Quando chegamos numa fase como a semifinal, a vontade de ganhar, de fazer um bom jogo, de levar o time para uma final é que faz a diferença. Quem tiver mais gana, mais vontade, vence. É lógico que tem toda a parte dos erros, a parte tática, de marcar as jogadoras adversárias, mas o que vai valer é o coração. E nós estamos preparadas. Sempre entramos em quadra com muita alegria e muita vontade e não será diferente”, afirmou Natália, que completará 26 anos no sábado e, obviamente, espera uma vitória de presente.

 

Uma das muitas mineiras do Rexona-AdeS, a ponteira Gabi segue o mesmo discurso da companheira. Ela sabe o quanto será importante o coração contra o Camponesa/Minas, ainda mais com toda a família presente ao ginásio.

 

“Eu tinha conversado com as meninas assim que o Minas conseguiu a vaga nas semifinais. Falei do quanto eu tinha ficado feliz com a possibilidade de jogar na minha terra uma partida tão importante. E foi engraçado que todo mundo, muitas pessoas que eu não via há muito tempo, mandou mensagem, dizendo que estaria torcendo por mim. A ansiedade fica um pouco maior, mas eu estou muito mais animada por conta disso. Agora, numa partida como essa, não tem muito mais o que mostrar. Já estudamos, já jogamos contra duas vezes, a última um 3/2 muito difícil, e agora é colocar o coração em quadra. É a hora mais gostosa para nós, jogadoras. É a hora boa. Quero aproveitar cada momento, aproveitar que minha família estará prestigiando e vou fazer de tudo para buscar essa vitória para poder dedicar para eles”, finalizou Gabi.

 

 




Subscribe
Auto Notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x