Search
Wednesday 20 November 2019
  • :
  • :

Saiba como está a situação física de Jaqueline para o terceiro desafio da série contra o Rexona-Sesc

Crédito: Alexandre Loureiro/Inovafoto/CBV

 

Está tudo igual. Camponesa/Minas e Rexona-Sesc têm uma vitória cada um na série melhor de cinco jogos na semifinal da Superliga Feminina. Nesta sexta-feira (07/04), às 21h30, as duas equipes voltam a se enfrentar no ginásio do Tijuca, no Rio de Janeiro. O objetivo das minastenistas é vencer o terceiro jogo para decidir vaga na final em casa, diante do torcedor, que, certamente, vai lotar a Arena Minas Tênis Clube, na próxima terça-feira (11/04), no quarto jogo entre as equipes.

 

Depois de empatar a série, nessa terça-feira, ao vencer as adversárias, por 3 sets a 1, no Rio, o Camponesa/Minas teve um breve descanso e iniciou, nesta quinta-feira (06/04), a preparação para o próximo duelo. Pela manhã, as comandadas do técnico Paulo Coco estiveram no ginásio do Fluminense, onde realizaram a primeira atividade com foco no jogo. “Sabemos que a consistência deles é muito grande. Precisamos igualar muito o nível, o que não conseguimos na primeira partida. Criamos uma expectativa grande, mas saímos muito de nosso sistema. Evidentemente, a equipe adversária é favorita, mas temos condições de brigar de igual para igual com qualquer time, e mostramos isso no segundo jogo. Conseguimos manter nosso padrão, executamos bem nosso sistema tático e tivemos lucidez nos momentos decisivos. A ideia é essa, manter nosso sistema, ter calma, tranquilidade e ir para cima, para tentar levar a vantagem para Minas”, comentou o treinador minastenista.

 

A ponteira Jaqueline, que sentiu dores nas costas ao tentar salvar uma bola no fundo de quadra, no segundo jogo contra o Rexona-Sesc, está recuperada e treinou. “Já estou muito bem. Senti dores na hora, por causa da pancada, mas estou ótima. Agora, está tudo igual. Perdemos um e ganhamos outro. É pensar daqui para frente. Todas nós estamos bem confiantes. Acredito que podemos vencer. O adversário é o time a ser batido, 11 vezes campeão. Sabemos das dificuldades que enfrentaremos. Estudamos muito a equipe delas. Temos que ter a cabeça boa, fazer o que fizemos no segundo jogo e respeitar o adversário, que tem uma hegemonia muito grande”, destacou a bicampeã olímpica.




Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Auto Notificar:
Translate »