Search
Saturday 5 December 2020
  • :
  • :

Técnica Bethânia Mello se despede do vôlei com discurso emocionante

Foto: Reprodução

A noite desta sexta-feira, 15/02, foi marcada por uma notícia que emocionou as redes sociais. A técnica de base Bethânia Mello, que revelou grandes jogadoras da atualidade e outras tantas que ainda poderão brilhar, publicou em seu Facebook um discurso de despedida do vôlei.

Bethânia iniciou seus trabalhos revelando jogadoras em Sacramento-MG e Patrocínio-MG, desta primeira safra de grandes atletas três delas em especial brilham nesta Superliga: Camila Brait – Sollys/Nestlé, Elis Bento – Rio do Sul e Glauciele – Pinheiros. 

Em evidência, a treinadora logo foi convidada a dirigir as equipes de base do Praia Clube, de Uberlândia, e de lá ainda saíram outras tantas revelações como é o caso da central Larissa Gongra – Sollys/Nestlé e a levantadora Juliana Carrijo, remanescente na equipe mineira.

Do time mineiro, a enérgica treinadora ganhou fama nacional ao ser convidada pelo Finasa/Osasco para fazer parte da comissão técnica e de lá ainda surgiram outras revelações, como a ponta/oposto Angélica – Uniara.

Em Franca-SP foi o ápice da carreira da técnica que conseguiu reunir seu principal grupo de base, com nomes ainda de jovens atletas que começaram a cair nas graças dos técnicos das equipes adultas da Superliga como: Yslany – Pinheiros, Killara – Amil, Glauciele – Pinheiros, Vivian – Ex Mackenzie, Dalliane Dias – São Bernardo. Após passagem pela cidade de Franca, Bethânia ainda passou por Piracicaba e São Carlos, até decidir por encerrar sua carreira.

Confira, na íntegra, o depoimento sensato e emocionante que a treinadora, símbolo de trabalho de base, colocou em sua rede social:

“Há mais de dezessete anos trabalho com voleibol, treinando times de base de competição, passei por grandes clubes e conheci grandes pessoas. No entanto sempre chega o momento de fazer reflexões e mudanças, pois a nossa obrigação é ser feliz e dar felicidade. Ultimamente não estava atingindo esses objetivos.

O problema é que a estrutura de nosso esporte, principalmente no estado de SP onde passei meus últimos anos não tem clareza de objetivos, se tem… não tem métodos adequados. Podemos até discutir sobre esse tema.

Para que serve o esporte competitivo, especificamente o vôlei feminino onde atuei?

Entendo o esporte como uma ferramenta de educação e inserção social. Uma ferramenta de consolidação da saúde de nossa população. Construindo uma juventude saudável, que saiba aprender, fazer, ser e conviver, dentro dos conceitos de educação definidos pela UNESCO.

Fazer como fiz por dezessete anos, treinando times para competição, num universo em que não são claros os objetivos é lutar quase em vão. Lógico que eu tive resultados, pois respeito o meu trabalho, mas eu posso render mais. Não no esporte competitivo, mas sim na conceituação do próprio esporte, definir o esporte como uma atividade coletiva com metas e métodos definidos, enfim conceituá-lo como POLÍTICA PÚBLICA.

Nosso país entra num período em que podemos nos tornar referência mundial no aspecto de justiça social e no aspecto econômico. Porém têm problemas graves ( a dependência química, a violência e a corrupção), tão graves que o resultado olímpico é quase insignificante. Esses problemas o esporte como política pública, como ferramenta de consolidação de princípios e de educação pode mudar e eliminar. 

Criança que tem orgulho do que faz, não rouba, não agride, não depende de drogas para ter uma realidade adequada. A criança que acredita em si mesmo torna-se um individuo produtivo, cooperativo, em suma resolvido e feliz. E ainda uma pessoa saudável, pois a consequência da massificação do esporte é a melhoria da saúde da população.

Então, o vôlei de competição, quando se faz bem feito transforma sim, mas de uma forma individual, e não vejo clareza nas tomadas de decisão de quem dirige o esporte.

São necessários os núcleos de alto nível, mas os que estão por ai têm resultados pífios. Vejo abnegados: Deli (Delicélio – Mackenzie), Vandeca (Nova Trento) e outros isolados…mais nada. E o esporte não pode viver de quem pratica o sacerdócio. O esporte precisa de seriedade, transparência e definição de metas e métodos.

Sim eu mudei. Graças a pessoas a quem agradeço: a Claudia que me fez pensar, a Bibi me ensinou a ser mais amorosa, elas fizeram-me refletir 

Despeço-me das minhas atletas, desde quando comecei em Sacramento, Patrocínio, Uberlândia, Osasco, Franca, Piracicaba e São Carlos ficarei sempre torcendo muito por vocês !!

Vocês minhas queridas atletas foram o sorriso, alegria, a doce companhia, a esperança, a beleza, a energia positiva, as boas risadas o embalo da minha vida. Agradeço de coração por toda alegria que me proporcionaram e sempre vou relembrar a boas histórias e as nossas boas vitórias. Dias de luta dias de glória!!

Para finalizar, desejo todo sucesso do mundo a vocês   pois vi em vocês a capacidade para se tornarem grandes atletas e grandes pessoas. Que vcs possam ajudar outras pessoas no futuro. Foi bom demais viver este sonho, uma grande caminhada com um grande aprendizado.

Um grande abraço!!”

 




Subscribe
Auto Notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x