Search
Wednesday 23 September 2020
  • :
  • :

“Temos o objetivo de fazer nosso melhor”, diz Dani Lins. Vôlei Nestlé chega ao Japão para o Mundial

Desembarque no aeroporto de Osaka, no Japão (Fotojump)

 

Após longa viagem com escala em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, o Vôlei Nestlé chegou ao Japão na manhã desta sexta-feira (5). A delegação desembarcou no aeroporto de Osaka e já se encaminhou para Kobe, local em que o Mundial de Clubes será disputado de 9 a 14 de maio. A adaptação ao fuso horário de 12 horas de diferença começa neste sábado (6) com treinos em dois períodos. A equipe comandada por Luizomar estreia na competição na próxima terça-feira, às 3h30 (horário de Brasília), diante do Nec Red Rockets, do Japão.

 

Experiente em Mundiais, o técnico Luizomar tem três títulos da competição nas categorias de base da seleção brasileira e um no adulto pelo Sollys/Nestlé, em 2012. “A chegada ao Japão nos aproxima do começo da competição. Estar no local do torneio nos dá uma motivação a mais para dar sequência ao trabalho visando nossa estreia. O clube de Osasco vem de quatro participações, com três finais e um terceiro lugar. É uma enorme satisfação estar novamente representando as cores do Vôlei Nestlé”, afirma o treinador.

 

Medalha de bronze pelo Sesi-SP, em 2014, a levantadora Dani Lins disputa o torneio pela segunda vez.

“Esse Mundial é uma chance enorme para o Vôlei Nestlé mostrar um pouco do vôlei brasileiro aqui no Japão. O clube foi campeão em 2012 e o nosso patrocinador tem dois títulos, já que levantou esse troféu na década de 90. Jogar esse torneio é sempre difícil porque estão os melhores times do mundo. Sabemos que teremos trabalho duro pela frente e temos o objetivo de fazer nosso melhor”, garante Dani Lins.

 

Com conquistas mundiais na base, Tandara participa do seu primeiro campeonato de times. “Estou feliz de participar do meu primeiro Mundial. É uma oportunidade única de jogar contra as melhores equipes do mundo. Espero representar o Vôlei Nestlé da melhor maneira possível e estou encarando o torneio de uma forma positiva. Sou campeã mundial no Infanto e no Juvenil pela seleção e agora tenho uma chance no adulto pelo clube. Sempre quero mais e tenho a vontade de carregar ainda mais meu currículo”, ressalta Tandara.

 

A capitã Gabi é a única remanescente das duas participações anteriores, com o ouro em 2012 e a prata em 2014. “Meu desejo é buscar minha terceira medalha em Mundiais pelo clube. Independente da competição temos que ambicionar estar no pódio. Será uma edição bem mais difícil que as anteriores, pois agora precisamos ganhar dois jogos para avançar à semifinal. A primeira partida será importante para nossa equipe. Esse confronto diante do time japonês, que estará em casa, contará bastante na briga por uma vaga na semifinal”, analisa a jogadora.

 

Brasileiros campeões mundiais – Três clubes brasileiros são campeões mundiais no naipe feminino. O campeonato foi realizado pela primeira vez em 1991, em São Paulo, e o Sadia, sediado em São Paulo, foi o primeiro campeão. Em 1994, o Leite Moça, com sede em Sorocaba, conquistou o título batendo o Parmalat/Matera, da Itália, em torneio realizado em Osasco, com Ana Moser como MVP. Já em 2012, o Sollys/Nestlé subiu ao topo do pódio derrotando o Rabita Baku, do Azerbaijão, campeão de 2011. Vitória por 3 sets a 0 na decisão e com Sheilla como melhor jogadora da competição.




Subscribe
Auto Notificar:
guest
2 Comentários
o mais novo
mais velho mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Hermes Correia

O Vôlei Nestlé precisa jogar com o mesmo espírito que jogou o 4º set contra o Rio. Se assim fizer terá alguma chance, do contrário vai ser outro fiasco.!! Força meninas a torcida está sempre com vocês.!!

Nikola

Aquele time do Leites Nestle, de 1994 era um time 100% nacional imbatível.

Diferente do Sadia, 1o; time campeão mundial, q tinha a peruana Cecilia Tait, 1 das melhores do mundo. o Nestle só tinha brasileiras.

Ana Moser, Ana Claudia e Denise nas pontas, Fernanda Venturini e Simone Storm de levantadoras.

Ida, Kerli e Ana Paula Connely de centrais, época em q estas faziam recepção, e eram ótimas no passe.

Tri campeão da Superliga e campeão mundial de clubes em 1994.

Que elas tragam boas vibrações de campeãs para o Osasco e RJ.

Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x