Search
Thursday 6 August 2020
  • :
  • :

Zé Roberto fala sobre seu retorno ao país e o futuro na seleção brasileira

Foto: Luis Ventura/Melhor do Vôlei

Técnico se diz no melhor momento de sua carreira e diz que projeto em Campinas vai ajudar Rio 2016.

O tricampeão olímpico José Roberto Guimarães foi o centro das atenções durante a apresentação do Vôlei Amil no último domingo (26/08), em Campinas. Além de porta-voz da coletiva de imprensa, onde respondeu a todas as perguntas com muita atenção e bom humor, o treinador também teve tempo de dar uma “palinha” do repertório do cantor Leonardo, que se apresentou logo em seguida.

Após a coletiva, Zé Roberto conversou com exclusividade com o Melhor do Vôlei e falou sobre a sua nova equipe, os objetivos e, claro, também de seu futuro na seleção brasileira.

Foi possível perceber em alguns momentos um desconforto do treinador quando perguntado sobre a formação do time em Barueri, sobre a escolha das jogadoras e o futuro na seleção. Porém, sem perder a já conhecida tranquilidade, Zé respondeu a tudo e ainda aproveitou para deixar uma mensagem aos “novos torcedores” do Vôlei Amil.

Confira abaixo as principais falas do treinador, que retorna ao vôlei de clubes nacional após sete anos.


Especulações anteriores sobre a formação de um time em Barueri e o contato com a Amil

“Sempre existiu a vontade de montar em Barueri porque eu moro lá e eu não queria sair da minha casa. Por conhecer o pessoal da prefeitura e tudo mais, sempre houve o desejo deles de montar um time lá. Mas o convite da Amil veio para montar aqui em Campinas, que tá perto de casa. Eu estou feliz por estar aqui e conseguimos montar uma grande estrutura. Eu conheci o pessoal da Amil quando fui dar uma palestra sobre liderança há 15 anos. A gente teve uma amizade, eles gostam de esporte e ficaram com a ideia em mente, acompanhando o vôlei e fizeram o convite agora”.

Clique AQUI para ver mais fotos do lançamento da equipe, e AQUI para conhecer mais todas as jogadoras.


Sobre a formação do time

“A lista foi elaborada pela comissão técnica de olho nas mudanças e possibilidades do mercado. A gente conseguiu montar um time para brigar. Teve algumas jogadoras da lista que não deu para contratar, mas faz parte do mercado. Ter jogadoras deste nível é sensacional e você pode usá-las de várias maneiras. A gente quer um grupo versátil que no momento das necessidades a gente consiga obter resultados. É um grupo que tem uma boa qualidade técnica e isso é importante. Jogadoras de meio que defendem bem, jogadoras que quando precisem levantar, levantem bem, que tenham boa recepção e estou super feliz com o nível do time”.


Vasileva

“É uma boa menina. Joguei duas vezes contra ela. Eu a conheci quando ela estava no Bergamo. É uma jogadora jovem, promissora, um grande talento búlgaro que vai vir somar para o nosso time. Ela tem 1,94m e qualidade física importante e tecnicamente boa, além de ser uma ótima pessoa”.


Foto: Luis Ventura/Melhor do Vôlei

Foto: Luis Ventura/Melhor do Vôlei

Previa para a Superliga e Paulista

“Nós vamos brigar para ficar entre os três. É um time que tem qualidades para isso, vamos ter que trabalhar muito. Dos outros times, o Sollys é o favorito, pois é a base da seleção. O Unilever fez boas contratações e é a base da seleção também e tem um técnico excepcional. O Sesi-SP, com o Talmo e a base com boas jogadoras, está no segundo ano e portanto já sabe como tudo acontece. O Praia Clube e o Minas são equipes chatas de se jogar contra e eu acho que vai ser um bom campeonato a Superliga. No Paulista, além do Sollys, do Sesi, do Pinheiros e da Amil, tem o São Caetano que incomoda, o São Bernardo também, são bons times e é difícil falar quem vai ganhar e quem vai perder. O importante é que o nível será bom”.

Volta ao Brasil após sete anos

“Estou muito feliz de estar retornando a casa e estar fazendo junto com o Vôlei Amil esse projeto, com essas jogadoras e partindo do zero, com toda essa infraestrutura que conseguimos montar. Já nasceu vencedor por causa da medalha de ouro da seleção feminina. Era o momento de voltar e a gente espera fazer uma boa figura e ajudar no trabalho de desenvolvimento dessas jogadoras para 2016”.

Motivação das jogadoras para 2016

“O fato das Olímpiadas ser no Brasil ajuda o voleibol brasileiro num todo a se motivar. O fato de você poder conquistar outra medalha de ouro, que vão fazer parte de um campeonato importante é motivante. E a possibilidade de ir para a seleção, pois ninguém sabe o que poderá acontecer. As Olímpiadas realizada no Brasil vai ser muito bom para todos nós aproveitarmos esse momento para crescer”.

Futuro na Seleção Brasileira

“Temos que ver, pois estou num projeto novo e não sei o que o Ary está pensando, já que ele está com a cabeça muito na eleição da FIVB. Vamos esperar ele voltar ara a gente conversar sobre o futuro”.

Leia mais: Sem Soninha, Walewska poderá atuar como ponta

Avaliação do trabalho na Seleção

“Missão cumprida. A gente fez um grande trabalho nesse último quadriênio. Mesmo com a saída de jogadoras importantes como Fofão e Walewska, conseguimos mais uma medalha de ouro e agora a responsabilidade aumenta. Para 2016 o nível tem que continuar”.

Convite para a torcida

“A gente montou uma estrutura com enorme carinho, com jogadora ícones e promissoras. Convido a todos para conhecer as instalações e quem gostar que torça pela gente. É mais um time para colaborar com o voleibol brasileiro e queremos que todos sejam bem-vindos a Arena Amil e que venham até aqui conhecer tudo isso de perto. Obrigado”.

 




Subscribe
Auto Notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Translate »
213
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x